Adventistas do Sétimo Dia

Nota: LeRoy Froom, um líder adventista, escreveu que se a Igreja Adventista não tivesse a mensagem do Juízo Investigativo, “ninguém teria lugar justificável no mundo religioso, nenhuma missão e mensagem denominacional distinta, nenhuma desculpa para funcionar como uma igreja separada hoje.” (Movimento do Destino, p. 542)

Prefácio

O Juízo Investigativo (JI) é uma doutrina complexa, única apenas para a Igreja Adventista do Sétimo Dia. É complexa porque as Escrituras foram distorcidas e manipuladas para fazer essa doutrina parecer bíblica. A maioria dos membros da Igreja Adventista do Sétimo Dia provavelmente não seria capaz de explicá-la sem material Adventista e de Ellen G. White (EGW) na frente deles para guiá-los.

A doutrina do Juízo Investigativo tem sido a doutrina mais controversa e debatida dentro da Igreja Adventista desde a sua criação. Ellen White colocou seu selo visionário de aprovação nela e a Igreja Adventista do Sétimo Dia não pode descartá-la sem admitir que Ellen G. White foi uma falsa profetisa.

Espero tornar a doutrina do Juízo Investigativo de Ellen G. White simples de entender, para que os cristãos sinceros possam ver que ela não tem fundamento bíblico e que foi invenção de fanáticos religiosos.

Para os judeus do Antigo Testamento, um dos dias mais importantes do ano era a celebração do Dia da Expiação, cujos regulamentos estão explicados no capítulo 16 do livro de Levítico. Nessa data, o sumo-sacerdote primeiramente oferecia um sacrifício pelos seus pecados e dos de sua casa; a seguir, eram realizados sacrifícios pela nação de Israel.

A resposta é um claro “sim” e um incerto “não”. A ênfase Adventista na vida saudável é boa. Os Adventistas têm sido referência no desenvolvimento de hospitais, escolas médicas e odontológicas e clínicas em todo o mundo. No entanto, Ellen White faz uma série de declarações sobre saúde que provaram ser incorretas, não têm apoio bíblico, podem ter suas raízes nas religiões pagãs, colocam as pessoas sob falsa culpa e, mais importante, minam o Evangelho.

A “Conexão Mórmon”: Ellen White Plagiou de Joseph Smith?

Alguns Adventistas recuariam horrorizados ao ouvir que várias das visões e profecias de Ellen White se baseiam nos escritos de Joseph Smith. Mas estou adiantando a história.

Quem primeiro guardou o Sábado depois da Reforma Protestante?  Adventistas ou Batistas do Sétimo Dia?

Muitos ficariam surpresos ao descobrirem que os adventistas do sétimo dia nem sempre guardaram o sábado. Isto por que 99% dos mileristas, que segundo alguns, chegou a cifra de 1 milhão, eram fiéis guardadores do domingo. A respeito de Miller certo escritor adventista afirma:

A obra “The White Lie” (A Mentira Branca), de autoria do ex-pastor Adventista Walter Rea, foi publicada nos EUA em 1982 desmascarou a ficção profética inventada acerca da pessoa de Ellen White, considerada pelos adventistas uma profetisa de Deus.

Nestas páginas o Sr. Rea prova que os escritos de Ellen White, especialmente aqueles em que ela diz ter recebido do Espírito Santo ou de um Anjo, não passaram de cópias ipsis literis de vários outros autores. Até mesmo a organização e a estrutura de capítulos e subtópicos foi descaradamente copiada.

Foi por causa desta obra que a Igreja Adventista do Sétimo Dia (IASD) foi pressionada a mandar produzir o Veltmant Report (1), onde reconhece há um parecer de um estudioso reconhecendo o plágio indevido e desonesto nas obras “inspiradas” de Ellen White.

Este é um estudo bíblico sobre “alimentos impuros”. Deixaremos de lado todos os escritos e idéias humanas e nos concentraremos o máximo que pudermos no que a Bíblia diz sobre a proibição de alimentos. Este estudo lida com assuntos teológicos e não com questões de saúde.

Nuvem Branca é um livro escrito por Dirk Anderson, um ex-adventista americano, preocupado em mostrar que nem tudo o que Ellen G. White escreveu era verdadeiro, muito menos inspirado pelo Espírito Santo. Muitos dos seus primeiros escritos foram eliminados por haver contradições e muitos deles foram trabalhos de plágio de outros autores. Visões não cumpridas, embaraços e tropeços de uma profetisa foram acobertados e ocultados por seus seguidores.

Este breve estudo de Ubaldo Torres Araújo visa provar que as profecias de Daniel 7 e Daniel 8 , tratam de profecias distintas.