Rede na Praia ao pôr do sol

Abordamos, ainda que sucintamente a base bíblica do sábado. Vimos, na narrativa da criação, que Deus reservou o sétimo dia como sábado; que o quarto mandamento especifica o sétimo dia como o dia que deve ser santificado; que Jesus e os seus seguidores observavam o sétimo dia, como fez Paulo e a igreja do Novo Testamento.

Como uma espécie de recapitulação, consideraremos a seguir uma série de pretextos alegados pelos cristãos dos nossos dias para não guardarem o sábado. O sétimo dia é o sábado da Bíblia - contudo, a maioria dos cristãos da atualidade observa o primeiro dia da semana, em vez do sétimo. Seriam consistentes os pretextos apresentados para tal prática?

1)    "Ele é Judaico"

  1. Judaicos também são os outros nove mandamentos. A própria Bíblia é judaica. Jesus Cristo foi judeu. Mais que isso, a salvação é dos judeus. Teremos que rejeitar tudo o que é deles?
  2. Mas será que o sábado é judaico? Ele é anterior à origem da nação judaica no Sinai. Também, precede por séculos, ao povo hebreu. De qual nacionalidade foi Adão? De nenhuma! Ele simplesmente foi homem. O primeiro da espécie. E Jesus disse: "O sábado foi feito por causa do homem". Além disso, outros povos mais antigos que os hebreus conheciam e observavam o sábado. "O quarto mandamento não estava baseado em alguma coisa feita a Israel em particular, mas em algo feito na criação do mundo. Isto é importante porque com ele permanece ou cai a validade geral dos mandamentos para toda a humanidade". (Vos).
  3. Se essa pretensão fosse verdadeira, ou seja, que o sábado tenha sido dado para os judeus e somente para eles, no Sinai, então não haveria sábado para o mundo gentio. No entanto, Deus estabeleceu-o no princípio dos tempos, em benefício de toda a humanidade.

2)    "A Maioria Guarda o Domingo"

  1. "Eu não quero ser diferente".
  2. Desde quando a maioria faz coisas certas? A maior parte do mundo é pagã. A maior parte da cristandade e católica-romana. O chamado de Cristo é para a separação.
  3. A Bíblia diz: "Sai do meio deles e separai-vos"; "Entrai pela porta estreita"; "Não vos conformeis com este mundo".

3)    "O Quarto Mandamento Indica um Dia em Sete"

  1. - "Não importa o dia que eu guardo, contando que o guarde corretamente".
  2. - "O princípio era universal, o sétimo era judaico".
  3. PORÉM - O quarto mandamento diz o sétimo dia. Não somente é empregado o artigo definido, mas no hebraico há uma partícula chamada "eth" que assinala o objeto direto e definido do verbo. Em Gênesis 2:2 3 está escrito: "E Deus abençoou (eth) o sétimo dia e (eth) o santificou". Em Êxodo 20.8 está: "Lembra-te (eth) do dia do sábado"; e no versículo 11: "O Senhor abençoou (eth) o dia do sábado". No versículo 10 há o artigo definido: "O sétimo dia".
  4. Isso define o sábado como o sétimo dia da semana, marcado desde a criação. O sétimo dia foi abençoado e santificado com a presença de Deus. Assim como Deus tomou o "pó da terra" para dele formar o corpo do homem, assim, também, ele tomou o sétimo dia para dele fazer o sábado.

4)    "O Calendário Foi Mudado Varias Vezes"

  1. - "Não sabemos qual é o sétimo dia".
  2. Podemos identificá-lo retrocedendo até Jesus, que certamente sabia qual era o dia legítimo. Deus mostrou-o no deserto por meio dos milagres do maná. Não necessitamos retroceder mais.
  3. Os judeus são muito precisos em sua cronologia e o seu calendário marca o mesmo sétimo dia que o nosso, as semanas coincidem.
  4. Realmente, o calendário foi mudado - do Juliano para o Gregoriano, em 1582; e na Inglaterra em 1752. Porém, foi apenas a data, o dia do mês, que sofreu alteração e não a ordem dos dias da semana. O ciclo semanal nunca foi interrompido.

5)     "Contorne a Terra, Dirigindo-se Para o Oeste, e Você Perde um Dia".

  1. Assim, se irmãos gêmeos viajassem em volta da terra em sentidos opostos, quando retomassem para o ponto de partida haveria dois dias de diferença na idade deles. Em outras palavras, de acordo com esse raciocínio, não seriam mais gêmeos.
  2. A perda de um dia na linha internacional do fuso horário não faz diferença nas datas civis ou comerciais. Aqueles que se decidem pelo primeiro dia não têm dificuldades para saber quando ele ocorre.
  3. O sofisma desse argumento é que o sábado não é o sétimo dia do homem, mas da terra. O dia se desloca em torno da terra de leste para oeste. É como pegar um trem em pontos diferentes: Estamos no sábado quando ele está conosco.

6)    "O Sábado Foi Abolido"

  1. - "Cristo é o nosso sábado". Certo - mas isto não anula o dia semanal de descanso e de culto.
  2. - "Jesus cumpriu a lei". É verdade, porém, cumprir não significa anular. Veja Mateus 4:14; Romanos 13:10; Gálatas 5:14; 6.2.
  3. - "Paulo ensinou que a lei, incluindo o sábado, foi abolida". Porém, "a lei", nas passagens comumente citadas, não significa os princípios morais, mas o sistema cerimonial. Os "dias" e os "sábados" a que se referem são os dias festivos e cerimoniais e não o dia semanal de descanso e adoração.

7)    "Nós guardamos o dia da ressurreição de Cristo" 

  1. "O domingo é uma instituição nova": Mas, o domingo da ressurreição não pode ser provado. O registro narra somente a descoberta do sepulcro vazio. Além disso, veja também, Mateus 28:1 que nos diz, que o sepulcro estava vazio "no fim do sábado"-literalmente "na tarde do sábado".
    • Mesmo que a ressurreição tivesse ocorrido no domingo, não há mandamento ou exemplo para que a observemos. A nossa celebração da ressurreição é no batismo (conf. Romanos 6 3.4).
  2. "A santidade do sábado foi transferida para o domingo". Esta idéia nasceu na Reforma Inglesa. É uma idéia muito espiritual e sublime. Poderia ser válida SE: SE Jesus tivesse ressuscitado no primeiro dia; SE o mandamento do sábado estivesse abolido; SE os apóstolos e a igreja do Novo Testamento tivessem-no observado; SE Cristo o tivesse sancionado. Porém. Todos esses "SES" são negativos.

 8)     "Jesus Apareceu Aos Seus Discípulos no Primeiro Dia".

  1. Não é natural que ele fosse aos seus seguidores para trazer-lhes coragem e esperança e para dissipar-lhes o abatimento e o desespero?
  2. Ele também lhes apareceu em outros dias (Veja João 21). Este não era o primeiro dia. Atos dos Apóstolos 1:3 diz: "sendo visto por eles por espaço de quarenta dias". A alegação não tem sentido, a menos que todas as aparições tivessem ocorrido no primeiro dia. Mesmo assim, estranharíamos.

9)     "A Igreja do Novo Testamento Guardou o Domingo".

  1. Isso não é verdade. São mencionados somente dois específicos primeiros dias: um nos evangelhos - o dia em que a ressurreição foi descoberta; e outro em Atos - a única reunião para culto e que teve lugar na nossa "noite de sábado".
  2. Paulo pregava aos sábados, "como tinha por costume" (Atos dos Apóstolos 17:2). Há repetidas referências a reuniões havidas no sábado, mas nenhuma alusão à santidade do domingo.

10)    "Eu Não Posso Ganhar a Vida e Guardar o Sábado"

  1. Em que classe de Deus você acredita? Deus, que é todo bondade, acaso pediria para você fazer o impossível? Onde está a sua fé? Se Deus exige, ele, também, capacita.
  2. Por que não roubar para ganhar a vida? 0 mesmo Deus que disse: "Não furtarás", escreveu nas mesmas tábuas de pedra: "Lembra-te do dia do sábado, para o santificar".

11)    "Grandes Instrutores da Bíblia e Ministros Ensinam que Está Certo Guardar o Domingo"

E só por isso está certo? Veja Oséias 10:13; 1 Coríntios 1:25-27; Provérbios 19:27. A questão não é o que diz o homem, não importando quão sincero e culto ele seja, mas sim, "O que dizem as Escrituras?".

12)    "Posso Prestar um Grande Serviço Guardando o Dia Que os Demais Guardam" 

  1. - "Considere quantas pessoas mais eu posso alcançar e quanto maior é a minha influência".
  2. Isso pode ser verdade, num certo sentido. Mas quando Deus manda, compete-nos obedecer e deixar com ele os resultados.


Conclusão do capítulo

Em resumo, os pretextos quase sempre significam: "Eu não quero".

Realmente, os pretextos são verdadeiros apoios, em que se sustenta uma prática que não se quer mudar.

Devemos compreender que a lei do sábado está no mesmo nível das leis contra o homicídio, o adultério e outras coisas. Violar o sábado é um pecado tão grave quanto furtar, adulterar ou assassinar. É surpreendente ver como Deus classifica a profanação do sábado junto com a desonra aos pais, o homicídio, a lascívia, a idolatria e o sacrifício de crianças, em EzequieI 22.7-9; 23.37,38.

"De tudo o que se tem ouvido, o fim é: Teme a Deus, e guarda os seus mandamentos; porque este é o dever de todo o homem. Porque Deus há de trazer a juízo toda a obra" . Eclesiastes 12:13-14.

Ouvi a Sua voz pesarosa e suplicante, quando diz: "Quem me dera que eles tivessem tal coração que me temessem e guardassem os meus mandamentos todos os dias, para que bem lhes fosse". Deuteronômio 5:29.

Capitulo do livro:
O SANTO DIA DE DEUS
Sete Estudos Sobre a Verdade do Sábado
De: Rev. Lester G. Osborn
"E abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou" Gênesis 2:3

Estudo cedido pela Conferência Batista do Sétimo Dia Brasileira, todos os Direitos reservados. Antes de Copiar ou publicar este estudo consulte a CBSDB

Caso você queira maiores informações sobre qualquer matéria não hesite em entrar em contato! 

Artigos Relacionados

A vida guiada pelo Espírito, segunda-feira
Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará...
A vida guiada pelo Espírito, domingo
Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não...
Uma Bíblia Feminista e um Deus que não é Pai Uma Bíblia Feminista e um Deus que não é Pai
Algo comumente alegado pelo movimento feminista é o papel historicamente opressor da fé cristã sobre as mulheres. Regina Schwartz, em seu livro ‘...
Graça maravilhosa, sábado
Porque o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça...

Graça Maior - Rev. Lester G. Osborn, . Disponível em: https://gracamaior.com.br/estudos/sabado/138-sabado-santo-dia-de-deus.html. Acesso em 23 Novembro 2017.