O Desafio do Cardeal Gibbons

James Gibbons (1834-1921) foi arcebispo e cardeal da Igreja Católica Apostólica Romana. Foi o segundo cardeal dos Estados Unidos da América. Ele serviu como Vigário Apostólico da Carolina do Norte de 1868 a 1872, Bispo de Richmond de 1872 a 1877, e como nono Arcebispo de Baltimore, de 1877 até sua morte em 1921. Ele participou em 1868 do Primeiro Concílio do Vaticano, onde votou a favor da definição do dogma da infalibilidade papal.

Em 1917, ele escreveu a obra intitulada “A Fé de Nossos Pais”, que se provou ser o mais popular trabalho de apologética católica escrito por um norte-americano. Transcrevo abaixo um interessante argumento desenvolvido pelo autor no livro, a favor da doutrina da Tradição católica:

“Uma regra de fé, ou um guia competente para o céu, deve ser capaz de instruir em todas as verdades necessárias para a salvação. Agora, as Escrituras por si só não contêm todas as verdades que um cristão é obrigado a acreditar, nem explicitamente ordenam todos os deveres que ele é obrigado a praticar. Para não mencionar outros exemplos, não é todo cristão obrigado a santificar o Domingo e abster-se nesse dia de trabalho servil desnecessário? Não está a observância desta lei entre os mais proeminentes dos nossos deveres sagrados? Mas você pode ler a Bíblia do Gênesis ao Apocalipse, e não encontrará uma única linha autorizando a santificação do Domingo. As Escrituras impõem a observância religiosa do Sábado, um dia que nós nunca santificamos.”

Gibbons francamente admite que a Bíblia não fornece qualquer suporte para a crença de que a observância do primeiro dia da semana substituiu a guarda do Sábado (Êxodo 20:8-11). Os cristãos que assim o fazem, estão na verdade seguindo uma tradição, e não um “Assim diz o Senhor”, com base na Palavra de Deus.

Se os cristãos não-católicos rejeitam a doutrina romana da Tradição e se apegam apenas à Bíblia como regra de fé e prática (“Sola Scriptura”), por que adoram a Cristo em um dia não especificado por Ele? Eis um desafio que deveria levar à reflexão de todos.

Leia também: Sábado: Santo Dia de Deus

Artigos Relacionados

Evidências da Observância do Sábado no Cristianismo Primitivo Evidências da Observância do Sábado no Cristianismo Primitivo
Tanto o Novo Testamento quanto a literatura cristã primitiva contêm indicações implícitas e explícitas da existência da guarda do Sábado. Uma...
Hebreus 4, o Sábado e o Descanso Eterno Hebreus 4, o Sábado e o Descanso Eterno
Porque em certo lugar disse assim do dia sétimo: E repousou Deus de todas as suas obras no sétimo dia. E outra vez neste lugar: Não entrarão no...
A Lei Foi Cravada na Cruz? A Lei Foi Cravada na Cruz?
Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando...
Quando, Onde e Por Que a Guarda do Domingo Começou? Quando, Onde e Por Que a Guarda do Domingo Começou?
PERGUNTA De acordo com sua investigação, quando, onde e por que o culto no Domingo se originou? RESPOSTA É difícil identificar a origem de...

Envie suas perguntas