Alá (grafia em Árabe)

O Islamismo é uma religião legalista, contraria ao cristianismo e cujos adeptos são os filhos espirituais de Ismael. "Estas, porém, são as gerações de Ismael, filho de Abraão, que a serva de Sara, Agar, egípcia deu a Abraão" (Gênesis 25:12)

O Islamismo é atualmente a segunda maior religião do mundo, dominando acima de 50% das nações em três continentes. O número de seus adeptos está entre 1.2 bilhão e 1.5 bilhão de pessoas. É a religião que mais cresce no mundo. O país com o maior número de muçulmanos é a Indonésia. (213 milhões de fiéis); Veja gráfico das religiões no mundo a seguir.

No Brasil, o número de muçulmanos, de 2002 a 2005, cresceu, só no Estado de São Paulo, de 300 mil para 400 mil, sendo certo que hoje há, no país, cerca de 1,5 milhão de muçulmanos e 70 mesquitas.

Gráfico das Religiões do mundo

 

A HISTÓRIA DE MAOMÉ E O SURGIMENTO DO ISLAMISMO

  • Nasceu em 570 em Meca, que já era um centro de peregrinação religiosa das tribos árabes, onde ficava a Caaba, um santuário onde ficava a Pedra Negra e ídolos das divindades árabes.
  • Membro da tribo coraxita, do clã dos haxemitas, teve infância e juventude modestas, órfão de pai logo após o nascimento e órfão de mãe aos 6 anos de idade, foi criado pelo avô paterno e, depois, por um tio, desde jovem, dedicou-se a prática da meditação e do jejum alcançou notoriedade em Meca por sua sabedoria e espírito filantrópico casa-se aos 25 anos de idade com Kadija, rica viúva, o que lhe dá independência financeira aos 40 anos, tem uma "revelação" em Meca – o anjo Gabriel lhe aparece e diz que Deus é único. Começa a revelação do Corão a Maomé.
  • Depois de três anos da primeira "revelação", Maomé começa a pregar que há um só Deus em Meca o crescimento de sua doutrina desperta oposição dos governantes e da elite de Meca.
  • Perseguido, Maomé foge para Yathrib (depois Medina) – é a Hégira, data inicial do calendário islâmico (622 d.C.)
  • Em Medina, Maomé é recebido e se torna governante da cidade, fazendo várias alianças políticas com tribos vizinhas, inclusive por meio de vários casamentos.
  • Aproxima-se dos judeus da cidade, mas como eles se recusam a abraçar o Islamismo, persegue e chega até a eliminar uma das tribos judaicas do local.
  • Em 630, finalmente conquista Meca, implantando ali sua religião.
  • Morre em 632 em Meca. Está sepultado na mesquita de Medina, a primeira mesquita islâmica do mundo.

A HISTÓRIA DO ISLAMISMO DEPOIS DE MAOMÉ

  • Com a morte de Maomé, é escolhido "califa" (sucessor do Profeta), Abu Bakr, pai da mulher predileta de Maomé, a jovem Aisha;
  • Abu Bakr morre em 634 e é sucedido por Omar, genro de Maomé, que é assassinado em 644;
  • Em lugar de Omar, é escolhido Otmã, outro genro de Maomé, que foi morto por rebelião popular em 656
  • Sucessão de Otmã gera guerra civil entre Ali, outro genro de Maomé e Muwyiah, governador da Síria.
  • Os muçulmanos dividem-se em dois grupos, existentes até hoje:
    1. Xiitas – "os partidários de Ali" – Ali foi sucessor de Maomé, assim como sua descendência
    2. Sunitas – defensores da Sunnah, ou seja, da tradição – Maomé não designou sucessor.

AS DOUTRINAS DO ISLAMISMO

As seis crenças do Islão:

  1. A crença em um Deus Único;
  2. A crença nos Anjos;
  3. A crença nos Livros Sagrados;
  4. A crença nos Mensageiros;
  5. A crença no Dia do Juízo Final e;
  6. A crença no Destino.

Alá em Árabe

Crença básica do Islamismo — há um só Deus ("Alá é o único Deus").

Os islâmicos entendem que Deus é uma só Pessoa e, por isso, negam a divindade de Jesus, que consideram como apenas um dos mensageiros de Alá ao longo da história.

Crença nos Anjos

Para os islâmicos, os anjos são seres honrados, submissos a Deus, mas que, por autorização divina, podem revelar a Palavra de Deus ao homem e até interceder por eles.

A Bíblia mostra não ser possível que um anjo traga uma nova revelação divina, diferente das Escrituras (Gl.1:8), até porque aos anjos não foi dado pregar o evangelho, tarefa destinada aos homens (At.10:22).

Crença nos Livros Sagrados

Os islâmicos reconhecem como sagrados a Torá, os Salmos e o Evangelho. No entanto, entendem que a mais importante e completa revelação de Deus é o Corão, que teria sido revelado a Maomé pelo anjo Gabriel, entre os anos de 610 a 632.

O Corão ou Alcorão, em vários pontos, é contraditório com os escritos bíblicos aceitos pelos muçulmanos. Poderia Deus ser contraditório?

O Evangelho aceito pelos muçulmanos não são os Evangelhos do Novo Testamento, mas um livro que teria sido revelado a Jesus

Exemplos de discrepâncias entre a Bíblia e o Alcorão:

  1. Sacrifício de Isaque por Abraão – Os islâmicos dizem que o filho era Ismael e não Isaque;
  2. Nascimento de Jesus – O Alcorão diz que Jesus nasceu junto a uma tamareira no deserto;
  3. Desenvolvimento de Jesus – O Alcorão diz que Jesus fez Sua primeira pregação ainda recém-nascido, nos braços de Sua mãe, pois nasceu já sabendo falar e pregar;
  4. Morte e ressurreição de Jesus – o Alcorão diz que Jesus não foi crucificado e, por isso, também não ressuscitou;
  5. Divindade de Jesus – O Alcorão diz que Deus não pode ter Filho e que Jesus foi apenas um mensageiro de Alá;
  6. Vida eterna do cristão – O Alcorão diz que os cristãos terão o mesmo destino dos idólatras, ou seja, o inferno.

Corão ou Alcorão – revelação do anjo Gabriel a Maomé, ditada entre nos anos 610 e 632, anotada por companheiros e Maomé, mas reunida em um único volume, no reinado de Otmã. Escrito em árabe, não admite tradução. Versões são apenas "explicações do significado do Alcorão".

O Alcorão é composto de 114 suras ou suratas, cada um dividido em versículos. Tem 6.432 versículos, 77.930 palavras e 323.670 letras.

Crença nos Mensageiros

Segundo os islâmicos, Deus enviou, ao longo da história da humanidade, homens a Sua mensagem, a Sua vontade. Maomé teria sido "o último e maior profeta" (33:40).

Maomé não pode ser o "último e maior profeta" porque:

  1. O último profeta foi João Batista – Mt.11:13, Lc.16:16
  2. Moisés foi superior a Maomé – Dt.34:10-12
  3. Não é possível revelação maior que a do próprio Deus na pessoa de Jesus Cristo – Hb.1:1

Quem é o profeta indicado por Moisés em Dt.18:15-18? Jesus ou Maomé? Jesus, por que:

  1. Jesus é israelita; Maomé, árabe
  2. Jesus pregou primeiro aos israelitas; Maomé, aos árabes.
  3. Jesus tinha as mesmas características de Moisés, a saber
    • Erudito, conhecedor das Escrituras; Maomé era analfabeto;
    • Manso, como Moisés se tornou; Maomé, de manso se tornou violento;
    • Sempre intercedeu por Israel; Maomé se tornou inimigo dos judeus;
    • Indicou, como Moisés, com clareza, Seus sucessores; Maomé deixou os islâmicos em dúvida, dúvida que persiste até hoje;
    • Tendo direitos de mando, jamais cedeu à tentação do poder, assim como Moisés: Maomé, porém, sem ter tais direitos, lutou para ter poder.

Crença no Dia do Juízo Final

Os muçulmanos crêem que haverá um dia, o Dia do Julgamento Final (Yaum al-Qiyamah), dia em que Deus ressuscitará todos os homens e os julgará conforme as suas obras.

  • O Islamismo defende a possibilidade de o homem se salvar por si só, o que é cabalmente desmentido pelas Escrituras - Rm.3:23.
  • O Islamismo defende uma expiação após a morte:
    • A idéia islâmica do Paraíso é materialista, pois é lugar onde:
      • há jardins, ao lado dos quais correm rios, onde morarão eternamente;
      • se repousará sobre coxins (almofadas grandes e confortáveis);
      • se terão enfeites e pulseiras de outro e pérola e vestimentas de seda;
      • haverá leitos e onde néctar, néctar mesclado com cânfora de uma fonte, carnes das aves favoritas e frutas deliciosas serão servidos por mulheres castas (virgens) especialmente criadas por Deus para isto com bandejas e copos de ouro.

Crença no Destino:

  • Deus sabe todas as coisas que irão acontecer previamente;
  • Deus escreveu tudo o que já predeterminou a acontecer;
  • Somente acontece aquilo que Deus quer que aconteça, pois nada acontece sem que seja da Sua vontade;
  • Tudo que existe foi criado por Deus e que não existe outro Criador além de Deus.
  • Embora não neguem o livre-arbítrio do homem, os muçulmanos, com esta sua predestinação, trazem a Deus um caráter injusto, contraditório com o que ensinam os islâmicos.

OS PILARES DO ISLAMISMO

Todo muçulmano tem, também, cinco ou seis deveres a cumprir, deveres estes de que depende a sua salvação:

  1. Dar testemunho de que não há outra divindade além de Deus, e que Mohammad é seu Mensageiro – Shahada ou Chahada;
  2. Prática de orações – Salat ou Salah;
  3. Pagamento do tributo social – Zakat ou Zakah;
  4. Peregrinação a Casa de Deus em Meca – Hajj;
  5. Jejum ritual no mês de Ramada - Sau;

Além dos cinco deveres admitidos por todos os muçulmanos, alguns grupos ainda acrescentam um sexto dever:

  • Combate ao pecado no homem interior ou em luta contra os infiéis – Jihad (muçulmanos kharijitas da Idade Média e seguidores das teorias fundamentalistas islâmicas surgidas a partir do século XIX); OU
  • Fidelidade ao Imam (guia espiritual) (alguns grupos de muçulmanos xiitas ismailitas)

Shahada ou Chahada - Cumpre-se este dever aceitando e recitando a profissão de fé do Islamismo. Assim se converte ao Islamismo.

O que a Bíblia ensina?

  • Que a conversão começa no homem interior e não no aspecto externo. – Rm.10:9,10.
  • Que negar a divindade de Jesus é gesto que leva à perdição – At.4:11,12

Salat ou Salah– Cumpre-se este dever fazendo cinco orações diárias, em árabe, com a sua face voltada para Meca, onde se encontra a Caaba.

O Islamismo exige apenas uma "reza", algo sem valor diante de Deus – Mt.6:5-8.

Artigos Relacionados

O Mundo Muçulmano O Mundo Muçulmano
GRÃ-BRETANHA (*) - O número de cristãos praticantes na Grã-Bretanha tem caído tanto que dentro de...
Tabela comparativa de religiões e seitas Tabela comparativa de religiões e seitas
Descubra quem é o fundador, a mensagem principal, quem é Deus, Jesus e a igreja para as principais...
Jesus é uma cópia de divindades pagãs? Respondendo “Zeitgeist” Jesus é uma cópia de divindades pagãs? Respondendo “Zeitgeist”
Em 2007, o documentário “Zeitgeist: O Filme” popularizou a ideia, desenvolvida por estudiosos...
Cada Livro da Bíblia em Uma Palavra Cada Livro da Bíblia em Uma Palavra
Deus Se revela através de Sua Palavra. Quando Ele fala, Ele nos ensina como Ele é, como Ele age e...

Zakat ou Zakah - pagamento de um valor correspondente a 2,5% da riqueza de um muçulmano, que deve ser pago uma vez ao ano, para ajudar os necessitados da comunidade muçulmana. É um ato que purifica o fiel.

O que a Bíblia ensina?

  • Que o valor devido pela soberania divina é o dízimo, ou seja, 10% e não 2,5%;
  • Que o dízimo e as ofertas não representam coisa alguma em termos de purificação, pois só quem purifica o pecador é o sangue de Jesus;
  • Que se deve ajudar não apenas os domésticos da fé, mas o próximo, que é qualquer ser humano.

Saum - Todo muçulmano, após atingir a puberdade, obrigatoriamente deve jejuar no mês de Ramada (2:183-185). O jejum ritual ocorre entre o alvorecer e o pôr-do-sol e não se trata apenas de abstinência de alimentação, mas também de manutenção de relações sexuais e de fumo.

O jejum ritual não agrada a Deus, que exige um jejum com propósito, fruto da contrição do coração e que expresse real e sincero arrependimento - Is.58:5,6; Zc.7; Mt.6:16-18.

Hajj - Todo muçulmano adulto, saudável e que tenha condições econômicas deve ir a Meca pelo menos uma vez na vida, entre o oitavo e o décimo dia do mês de Dhu-al-Hijja, o último mês do calendário islâmico.

O que a Bíblia ensina?

  • Que não há salvação pelas obras – Rm.3:28; Ef.2:8,9.
  • Que os adoradores verdadeiros adoram em espírito e em verdade – Jo.4:21-24

Jihad - O muçulmano tem o dever de lutar e exercer seu máximo esforço em favor da fé muçulmana, da difusão da mensagem de Maomé. Este esforço dá-se:

  • Pelo lado interno (jihad maior) - mediante um combate no homem interior, para impedir a vitória do mal e do pecado na vida de cada um.
  • Pelo lado externo (a jihad menor) - mediante o conflito militar, quando se permite atacar um inimigo que não seja muçulmano, via de regra, em defesa da fé, pois o jihad ofensivo seria atribuição única do califa.
  • Também se considera jihad o próprio sacrifício em prol do bem alheio e, caminhando neste sentido, surgiu a teoria de que o martírio em nome da fé, o suicídio com o intuito de destruição dos infiéis se constitui numa demonstração de jihad.

O que a Bíblia ensina?

Que o combate contra o mal no homem interior depende da ajuda do Espírito Santo – Rm.7 e 8;

Que a conversão não se dá pela força nem pela violência, mas pelo Espírito Santo – Zc.4:6;

Que os filhos de Deus são pacificadores e não guerreiros – Mt.5:9;

Fidelidade ao Imam - todo muçulmano deve ser fiel ao "imam", ou seja, ao guia espiritual da comunidade que, embora inferior ao profeta, é superior aos demais mortais.

A constituição de mediadores entre Deus e os homens é condenada pela Bíblia Sagrada – I Tm.2:5.

 

REFUTAÇÃO DO ISLAMISMO E A QUESTÃO DA EVANGELIZAÇÃO DOS MUÇULMANOS

Doutrinas islâmicas e sua refutação bíblica :

  1. Unicidade da Pessoa de Deus – Mt.4:16,17; Fp.2:9; Hb.1:1; I Jo.2:23
  2. Anjos - At.10:4-6,22; Gl.1:8; Hb.1:14
  3. Livros Sagrados - Sl.138:2; Mt.24:35; Jo.5:39; Hb.1:1; I Pe.1:25; Ap.22:18,19.
  4. Mensageiros - Dt.34:10-12; Mt.11:11,13; Lc.16:16; Hb.1:1
  5. Juízo Final - Ez.18;Lc.16:26; Rm.3:10,23;Ef.2:8,9 Ap.20:11-15
  6. Destino - Gn.4:7;Jo.3:16; ITm.2:4; Tt.3:11.

Pilares de Islam e sua refutação bíblica :

  1. Shahada ou Chahada - Mt.9:13; Lc.18:14; Jo.3:16; Rm.10:8,9
  2. Salat ou Salah – Mt.6:5-8
  3. Zakat ou Zakah - Mt.5:41; 23:23; Lc.10:25-37.
  4. Saum - Is.58:3-14; Zc.7; Mt.6:16-18
  5. Hajj - Jo.4:21-24; Ef.2:8.
  6. Jihad - Zc.4:6; Jo.16:8-11
  7. Fidelidade ao Imam - Mc.11:22; Rm.5:1

Como explicar o crescimento do Islamismo na atualidade?

  1. Falta de liberdade religiosa nos países islâmicos mantém os adeptos naqueles países;
  2. Liberdade religiosa nos países não islâmicos permite propagação da fé;
  3. Imigração de islâmicos para os países não islâmicos e alta taxa de natalidade;
  4. Apostasia crescente e falta de fervor missionário entre os cristãos;
  5. Fervor missionário aliado a recursos vindos da produção e exportação de petróleo por parte dos países muçulmanos, em especial, Arábia Saudita;
  6. Despreparo dos cristãos para evangelização dos islâmicos.

Evangelização dos muçulmanos

Evangelização dos muçulmanos exige conhecimento do Corão e do papel de Jesus na doutrina islâmica:

Sugestão: maior exploração da escatologia islâmica: os muçulmanos crêem que Jesus os libertará do falso profeta (Dijjal), que se levantará pouco antes do juízo final.

A evangelização dos muçulmanos não permite que os cristãos aceitem a tese do "confronto de civilizações" nem tampouco a generalização e o preconceito contra os muçulmanos – atitudes que fomentam ódio e guerra e que, portanto, não são inspiradas por Deus.

Verificação

  1. O que é necessário para se tornar um filho de Abraão?
    R: Ter fé em Jesus, isto é, aceitá-lo como Salvador. Deus dá, ainda hoje, a oportunidade para qualquer pessoa tornar-se descendente de Abraão mediante a invocação do nome do Senhor Jesus.
  2. Como foi a expansão do islamismo?
    R: O islamismo expandiu-se por todo o Oriente Médio, sul da Ásia, norte da África e Península Ibérica. O islamismo expandiu-se pela bravura dos seus guerreiros e pela força de suas espadas.
  3. O que disse Abdollah Sarh sobre o Alcorão?
    R: Abdollah Sarh dava sugestões sobre o que deveria ser cortado ou acrescentado no Alcorão. Afirmou, certa vez, que se o Alcorão fosse a revelação de Deus, não poderia ser alterado por sugestão de um escriba.
  4. Qual o problema do Alcorão sobre o conceito da Trindade Bíblica?
    R: O islamismo considera a crença na doutrina da Trindade um pecado imperdoável e confunde essa doutrina como crença em três deuses: Alá, Jesus e Maria.
  5. Quais são os cinco pilares do islamismo?
    R. 1) Fé em Deus - crer em Alá como único Deus e Maomé como seu mensageiro;
    2) Oração - realizadas cinco vezes ao dia;
    3) Esmolas - dar esmolas aos necessitados ou fazer atos de caridade;
    4) Jejum - jejuar 30 dias no mês de Ramadã;
    5) Peregrinação - peregrinação à Meca pelo menos uma vez na vida.

CONCLUSÃO

O islamismo é inimigo da cruz de Cristo. Em muitos países islâmicos é crime um muçulmano se converter à fé cristã. Seus líderes fazem propaganda falsa contra o cristianismo e escondem as fraquezas de sua religião. Nenhum deles fala ao povo que a Trindade bíblica não é a mesma descrita no Alcorão e nem explica o conceito de "Filho de Deus" em o Novo Testamento. É o maior desafio da igreja nos dias atuais.

Leia também:

O Mundo Muçulmano

Classificação de países por perseguição ao cristianismo 2010

Ministério Portas Abertas

Artigos Relacionados

A Origem do Papado A Origem do Papado
O Catecismo da Igreja Católica declara: “O Pontífice Romano, em razão de seu cargo de Vigário de...
Mateus 24:20 e a Observância do Sábado Mateus 24:20 e a Observância do Sábado
Em Mateus 24, Jesus está respondendo perguntas dos apóstolos, a respeito de Sua segunda vinda e da...
Jesus, o Desejado de Todas as Nações Jesus, o Desejado de Todas as Nações
 ...e farei tremer todas as nações, e virá o Desejado de todas as nações, e encherei esta casa de...
Adições de Ellen White à Bíblia Adições de Ellen White à Bíblia
Nota do Tradutor: No artigo anterior, Mais de 50 Contradições entre Ellen White e a Bíblia, dezenas...

Envie suas perguntas