De acordo com Marcelo Duarte, em seu livro “Guia dos Curiosos – Brasil”, no dia 16 de maio de 1968, Rogério M: Oliveira entrou na Basílica de Aparecida e reduziu a imagem da santa em 165 cacos: A artista plástica Maria H: Chartuni, do Museu de Arte de São Paulo, levou dois meses para restaurá-la: Depois disso colocaram-na numa redoma de vidro à prova de bala: Examine Juízes 6:30-31; Isaías 44:11-20; Jeremias 10:3-5; Deuteronômio 4:16-17.

A própria Bíblia de Jerusalém, católica, refere-se ao ídolo como “obra ridícula e mentirosa” (Jeremias 10:14-15): O que fazia a santa quando foi despedaçada? Dormia? (1 Reis 18:27) Onde estava o seu poder? Se ela precisa ser protegida por blindagem, que dirá dos fiéis? Pode ouvir-nos se não pode livrar-se? (Isaías 44:11-20; Deuteronômio 4:16-17)

Sobre o uso de imagens leia nos Apócrifos (Sabedoria 13:10-18, 14:1-31; 15:4-17; Judite 8:17; Bar 1:21-22; 6:35-72).

 

A verdade liberta!

Graça Maior - Édino Melo, . Disponível em: https://gracamaior.com.br/estudos/ibsd-x-catolica/124-respostas-biblicas-para-o-catolicismo/catolicos-carismaticos/706-padroeira-venerada-pelos-carismaticos.html. Acesso em 28 Junho 2017.