1864 não foi um bom ano para os livros da Sra. White. Nesse ano ela fez publicar outro livro que também revelou-se de pouca duração. O livro tinha por títilo An Appeal to Youth [Um Apelo à Juventude]. Ele continha cartas que ela havia escrito a seus filhos ao longo de um período de vários anos. Conquanto menos controvertido do que o Appeal to Mothers, ergueu algumas sobrancelhas com declarações controvertidas como esta:

O Senhor ama aquelas criancinhas que tentam fazer o bem, e prometeu que estas estarão em Seu reino. No entanto, as crianças más Deus não ama." "Deus ama as crianças de coração honesto e que são verazes, contudo, não pode amar aquelas que são desonestas."92

 

Desnecessário é dizer que Appeal to Mothers desapareceu das estantes de livros muitas décadas atrás.

Já na década de 1860 algumas pessoas começaram a questionar se a Sra. White estava recebendo o material para seus livros de Deus ou de fontes humanas. Talvez uma das primeiras fontes de material para seus livros foram os Apócrifos. Nos dias pioneiros os White consideravam os apócrifos em alta estima. Em 1850 a Sra. White falou enquanto em visão que seus seguidores precisavam entender os apócrifos:

"Vi que os apócrifos eram um material secreto, e que os sábios destes últimos dias deviam entendê-los."93 Os apócrifos chegarm a ser citados várias vezes pelos Whites em sua publicação de 1847 "A Word to the Little Flock." A descrição que a Sra. White faz do Jesus alto colocando coroas na cabeça dos santos...

Antes de entrar na cidade, os santos foram organizados num perfeito quadrado, com Jesus no meio. Seus ombros e cabeça destacavam-se acima dos santos e dos anjos. ... Ao solicitar as coroas, anjos a Ele as apresentavam, e com sua mão direita o amorável Jesus colocava as coroas na cabeça dos santos.94

…soa por demais familiar com 2o Esdras 2:42,43…

Eu, Esdras, vi sobre o Monte Sião uma grande multidão, que não podia contar, e todos louvavam ao Senhor com cânticos. No meio deles havia um jovem de grande estatura, de maior estatura do que todos os demais, e sobre a cabeça de cada um deles ele colocava uma coroa, contudo, ele era mais exaltado do que todos eles.

Além dos apócrifos, a Sra. White parece que estava familiarizada com alguns outros escritos clássicos da época. A descrição da fulgurante serpente de ouro no Jardim do Éden parece patentemente semelhante com a descrição de João Milton duma serpente "com um pescoço reluzente de ouro verdejante" que se acha no seu Paraíso Perdido. Suas descrições de Enoque que tinha uma "luz santa" sobre o semblante são semelhantes aos do Livro de Jaser onde Enoque tinha uma "aparência divina" sobre seu semblante. Suas descrições do dilúvio de Noé parecem correr paralelas com o Livro de Jaser:

Patriarcas e Profetas

Livro de Jaser

Em meio à prevalecente corrupção, Metusalém, Noé, e muitos outros labutaram para manter vivo o conhecimento do verdadeiro Deus e deter a maré da iniqüidade. (p. 94)

Eles não se dispunham a renunciar a seus pecados. (p. 95)

Tivessem os antediluvianos crido nas advertências e se arrependido de suas obras más, o Senhor teria desviado o seu furor, como fez mais tarde com Nínive. (p. 97)

5:9. E Noé e Metusalém falaram todas as palavras do Senhor aos filhos dos homens, dia após dia, constantemente falando-lhes.

5:10. Mas os filhos dos homens não lhes davam ouvidos, nem inclinavam seus ouvidos às suas palavras, mantendo-se na teimosia.

5:11. E o Senhor concedeu-lhes um período de cento e vinte anos, dizendo, Se se volverem, então Deus se arrependerá do mal, a fim de não destruir a terra.

 

Mas no oitavo dia, nuvens escuras se espalharam sobre os céus. Seguiu-se o estrondo do trovão e o fulgor do relâmpago. Logo, grandes gotas de chuva começaram a cair. O mundo nunca havia testemunhado algo semelhante, e o coração dos homens estavam paralisados de terror. (p. 99)

6:11. E naquele dia …o sol escureceu … e o relâmpago reluziu, e o trovão ecoou, e todas as fontes na terra foram rompidas, tal como nunca se conheceu entre os habitantes antes; e Deus operou esse poderoso ato a fim de aterrorizar os filhos dos homens...

Outros mostravam-se aterrorizados, erguendo as mãos junto à arca e suplicando serem admitidos. Mas seus apelos eram vãos. A consciência por fim foi despertado ao fato de que há um Deus que reina nos céus. Suplicaram-Lhe ardorosamente, mas Seus ouvidos não estavam abertos ao clamor deles. (p. 100)

6:18. E chamaram a Noé dizendo: abre-nos para que possamos ir até vós na arca—e por que haveremos de morrer?

6:23. [Noé respondeu:] "Mas agora vindes dizer-me isto por causa das aflições de vossas almas, agora também o Senhor não vos dará ouvidos, nem vos atenderá…"

A portentosa arca tremeu em cada fibra ao ser batida pelos impiedosos ventos e saltava de vagalhão a vagalhão. Os gritos das bestas dentro dela expressavam o temor e dor. Mas em meio aos elementos em conflito prosseguiu sua jornada em segurança. (p. 100)

6:28. E a arca flutuou sobre a face das águas, e era sacudido sobre as águas…

6:30. E as criaturas viventes que estavam na arca estavam aterrorizadas e os leões rugiam, e os bois mugiam, e os lobos urravam, e toda criatura na arca falava e se lamentava em sua própria linguagem, de modo que suas vozes alcançavam grande distância.

 

Talvez o mais patente exemplo de plagiarismo ocorreu com o livro que finalmente iria desaparecer de publicação, intitulado Sketches from the Life of Paul. Era uma obra de 334 páginas, publicada em 1883. No prefácio os editores declaravam ter sido escrito com "especial auxílio do Espírito de Deus." Contudo, um ávido leitor de livros cristãos percebeu que a Sra. White recebera "especial auxílio" de um livro de Conybeare and Howson publicado em 1855, intitulado Life and Epistles of the Apostle Paul. Comparações revelam que a Sra. White copiou uma vasta porção do livro de Conybeare para o seu própio livro. Todavia, ela nunca fez qualquer referência ao outro livro, nem deu qualquer crédito aos outros autores.

Em 1907, um adventista chamado Dr. Stewart publicou um panfleto de 89 páginas, no qual arranjou em colunas paralelas citações do livro da Sra. White e do livro de Conybeare. O panfleto demonstrava além de dúvida que ela copiara seu material diretamente do livro mais antigo. Após essa controvérsia ter emergido, o livro foi retirado de circulação e não é mais sequer alistado entre os livros escritos pela Sra. White. Acusações de plagiarismo haviam circulado ao longo do tempo, mas este livro talvez seja o mais patente caso disso. O fato de que a Sra. White plagiou este livro certamente suscitaria indagações a respeito de seus outros livros. Já estavam vindo à tona muitas acusações de plagiarismo com respeito a seus outros livros, como O Conflito dos Séculos. Portanto, a fim de aquietar maiores controvérsias e debates a respeito da inspiração e ética da Sra. White, o livro foi retirado de circulação. O presidente da Associação Geral, A.G. Daniells discute o incidente no concílio sobre o Espírito de Profecia de 1919:

Agora, já sabem algo sobre esse pequeno livro, The Life of Paul. Vocês sabem das dificuldades em que nos metemos por causa dele. Nunca poderíamos reinvidicar inspiração do pensamento todo e organização do livro, porque foi posto de parte em vista de ter sido mal preparado. Créditos não foram dados às autoridades apropriadas, e algo disso terminou indo parar no Conflito dos Séculos. Suponho que todos saibam de como acusações foram levantadas contra ela, alegações de plagiarismo, mesmo pelos autores da obra, Conybeare and Howson, e estavam a ponto de trazer problemas para a denominação por haver grandes porções do livro deles introduzidas no The Life of Paul sem quaisquer créditos ou aspas. Algumas pessoas de lógica estrita podem sair dos trilhos quanto a isso, mas não sou dessa estrutura. Descobri o fato, e li-o com o Irmão Palmer quando ele o encontrou; apanhamos Conybeare and Howson, e o História da Reforma de Wylie, e lemos palavra por palavra, página após página, e nenhuma citação, nenhum crédito, e realmente eu não sabia a diferença até que comecei a compará-los. Eu supunha que era obra da própria Irmã White! . . . Ali eu vi a manifestação do humano nesses escritos. Logicamente, eu poderia ter dito isso, e realmente o fiz, que desejaria que um rumo diferente fosse dado à compilação dos livros. Se cuidado apropriado tivesse sido exercido muitas pessoas teriam sido poupadas de serem lançadas fora do caminho.…96

As revelações a respeito do plariarismo em Life of Paul aparentemente lançaram um número de pessoas "fora do caminho". Imaginem o choque que seus leais seguidores devem ter sentido quando perceberam que o livro que estavam lendo não era produto de visões inspiradas recebidas pela profetisa de Deus, mas fruto da imaginação de autores não-adventistas. Isso imediatamente pôs em questão outros de seus escritos. A. G. Daniells viu "a manifestação do humano" nos escritos da Sra. White, e assim o fizeram muitos outros.

Aproximadamente 100 anos após a publicação de Life of Paul, o pastor adventista Walter Rea publicou os resultados de sua pesquisa em que descobriu que um montante significativo dos escritos de Ellen G. White foram plagiados de outros autores. Ele explica como a igreja manteve-se alterando o montante que admitiam ter sido plagiado segundo novas evidências vinham à tona:

A defesa para as ações dela [de Ellen White] de que se valiam até nosso tempo [os anos 80] era de que o montante vinha a ser o ponto importante da questão e que esse montante variava de 8% a 10%, dependendo do apologista que se lia ou no qual se desejava acreditar. Não foi senão até a igreja contratar o Dr. Fred Veltmen [teólogo ASD do Pacific Union College] para estudar o livro O Desejado de Todas as Nações que esse número foi elevado a 30% ou mais, dependendo dos capítulos escolhidos do livro que se está empregando. Após grande despesa e quase oito anos, Veltman confirmou o que outros estudos haviam revelado, que dependendo do material usado dos escritos de Ellen White, o trabalho de cópias poderia ser até de 90%. De fato, o Dr. Don McAdams, um erudito adventista [que preparou sua tese doutoral sobre O Conflito dos Séculos] tinha declarado na reunião de Glendale de 1980 que ‘se cada parágrafo do livro O Conflito dos Séculos, escrito por Ellen White, fosse devidamente referido com notas de rodapé, então todo parágrafo teria que contar com tais notas.’ Essa declaração nunca foi seriamente desafiada por qualquer membro da igreja.97

O Dr. Fred Veltman posteriormente publicou suas descobertas em O Desejado de Todas as Nações, e observou:

Implícita ou explicitamente, Ellen White, e outros que falaram em nome dela, não admitiram, e até negaram, a dependência literária [cópias] da parte dela." "Devo admitir desde o começo que, na minha opinião, este é o problema mais sério a ser deparado com relação à dependência literária de Ellen White. Isto assesta um golpe ao coração de sua honradez, sua integridade, e, portanto, sua confiabilidade.98

Não só a confiabilidade da Sra. White foi abalada pelos vários escândalos de plagiarismo, como a credibilidade da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Fica a impressão de que, enquanto a igreja firmemente defendia Ellen White contra as acusações de plagiarismo, líderes da igreja estavam conscientes, ou pelo menos suspeitavam, de que ela realmente se havia dedicado ao plagiarismo. Dirigentes da igreja discutiram os problemas envolvidos com o plagiarismo a portas fechadas em 1919, mas as transcrições dessa reunião não foram dadas a público senão em 1974. Assim, por 55 anos—até as transcrições serem "descobertas" num cofre da sede denominacional—os membros da igreja foram deixados na ignorância com respeito ao plagiarismo da Sra. White. Mesmo hoje, a maior parte dos membros da igreja têm pouca idéia da extensão do plagiarismo da Sra. White. O acobertamento da retirada de circulação do Life of Paul foi tão bem sucedido que poucos adventistas hoje têm qualquer idéia de que sua profetisa roubou as palavras diretamente de outro livro e as publicou num livro tendo o seu próprio nome. Poucos adventistas também percebem que a Sra. White ensinava que certas raças de seres humanos descenderam de uma mistura de humanos e animais...


Capitulo do livro:
A NUVEM BRANCA
Título Original em Inglês:
"The White Out"
De: Dirk Anderson

 

Artigos Relacionados

Texto fora do contexto é pretexto Texto fora do contexto é pretexto
A tirinha acima foi para demonstrar o perigo de se usar texto fora do seu contexto. Sabemos-nos pelo contexto que quando “Jesus disse Pai, perdoa-...
A Mentira Branca A Mentira Branca
A obra “The White Lie” (A Mentira Branca), de autoria do ex-pastor Adventista Walter Rea, foi publicada nos EUA em 1982 desmascarou a ficção...
Quer Conhecer Um Falso Profeta? Quer Conhecer Um Falso Profeta?
Em Mateus 7:15-23, nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo faz uma surpreendente advertência. Segundo Ele, os falsos profetas: profetizarão, expulsar...
Procura-se: Velhos soldados para defenderem velhas verdades no Ano Novo Procura-se: Velhos soldados para defenderem velhas verdades no Ano Novo
A igreja necessita grandemente de cristãos maduros, e especialmente quando há muitos novos convertidos sendo acrescentados a ela. Novos convertidos...

Graça Maior - Dirk Anderson, . Disponível em: https://gracamaior.com.br/estudos/ibsd-x-adventistas-do-setimo-dia/159-a-nuvem-branca-por-dirk-anderson.html. Acesso em 22 Novembro 2017.