Até os ateus como Sartre, diz Norman Geisler, sugerem que a porta do inferno é trancada por dentro. “Somos condenados à liberalidade de estar sem Deus. A presença divina do céu seria a tortura para quem a rejeitou.

A Bíblia responde que o grande tormento está em viver com as consequências de nossas más escolhas. É o choro e ranger de dentes que resulta da consciência de que fracassamos e merecemos as consequências. Assim como no inferno sabem que a dor que sofrem é auto-infligida”

E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más. Porque todo aquele que faz o mal odeia a luz, e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas. Mas quem pratica a verdade vem para a luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque são feitas em Deus. Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece.

João 3:19-21,36

Artigos Relacionados

Isaías 7:14 realmente é uma profecia messiânica? Isaías 7:14 realmente é uma profecia messiânica?
Portanto o mesmo Senhor vos dará um sinal: Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamará o seu nome Emanuel. Isaías 7:14...
Os Magos, a Estrela de Belém e a Astronomia Os Magos, a Estrela de Belém e a Astronomia
Depois que Jesus nasceu em Belém da Judéia, nos dias do rei Herodes, magos vindos do Oriente chegaram a Jerusalém e perguntaram: ‘Onde está...
Joias e adornos: o que a Bíblia diz sobre seu uso? Joias e adornos: o que a Bíblia diz sobre seu uso?
Algumas denominações religiosas proíbem seus membros de utilizarem adornos como brincos, colares ou pulseiras. Acreditam que os princípios de mod...
Liberdade de consciência e o exemplo de Cristo
Portanto cada um de nós agrade ao seu próximo no que é bom para edificação. . . . . . . ....Texto de Estudo...

Graça Maior - Édino Melo, . Disponível em: https://gracamaior.com.br/estudos/espiritismo/132-respostas-biblicas/existencia-do-inferno/1049-a-coerencia-do-inferno.html. Acesso em 16 Janeiro 2018.