O American Heritage Dictionary afirma que a reencarnação é o “renascimento da alma em outro corpo”. Por muitos anos, a crença na reencarnação foi geralmente associada a religiões orientais como o budismo e o hinduísmo. No entanto, está se tornando cada vez mais popular proclamar uma crença na Bíblia como a Palavra inspirada de Deus, mas ainda assim manter a crença na reencarnação. Uma questão óbvia surge de tal situação: “o que a Bíblia diz sobre a reencarnação?”

Uma afirmação direta que fala diretamente sobre a ideia de reencarnação é encontrada em Hebreus 9:27-28: “Da mesma forma, como o homem está destinado a morrer uma só vez e depois disso enfrentar o juízo, assim também Cristo foi oferecido em sacrifício uma única vez, para tirar os pecados de muitos.” Sem quaisquer termos vagos, o escritor de Hebreus explica que o curso geral da existência do homem é provar a morte somente uma vez, e então ser julgado baseado nas ações que foram realizadas naquela vida. Para sublinhar o número de vezes que uma pessoa morre, o escritor inspirado declarou que os homens morrem o mesmo número de vezes que Cristo foi oferecido na cruz - apenas uma vez. Tal afirmação ajuda muito a provar que a Bíblia não ensina a reencarnação. (Esse verso trata da generalidade da existência do homem e exclui situações miraculosas, em que Cristo, um apóstolo ou um profeta levantaram alguém dos mortos.)

Outra passagem bíblica que milita contra a ideia de reencarnação é encontrada em Lucas 16:19-31. Nesta passagem, Jesus contou uma história em que um homem pobre chamado Lázaro e um homem rico morreram. A Bíblia explica que Lázaro morreu e “foi levado pelos anjos para o seio de Abraão” (16:22), mas o rico foi para os “tormentos no Hades” (16:23). O texto afirma ainda que o homem rico “ergueu os olhos e viu ao longe Abraão e Lázaro no seu seio” (16:23). Aqui temos três homens que uma vez viveram na Terra e morreram, mas não vemos suas almas ou espíritos reabitando algum corpo terreno. Em vez disso, vemos os três homens - Lázaro, Abraão e o homem rico - em um estado plenamente consciente no reino dos mortos, separados de quaisquer laços terrestres. De fato, o homem rico implora a Abraão para enviar Lázaro de volta à Terra para advertir seus irmãos, mas Abraão se recusa. Portanto, se Lázaro morreu e sua alma não está mais na Terra, ele não poderia reencarnar em outro corpo ou pessoa. Além disso, a presença de Abraão neste “reino dos mortos” mostra que Abraão também não havia reencarnado.

Mais uma vez, em Lucas 23:43 Jesus disse ao ladrão arrependido que foi crucificado ao lado dEle: “Seguramente, eu digo a você, hoje você estará comigo no Paraíso.” É preciso perguntar: se o corpo do ladrão iria permanecer na Terra, e a alma do ladrão estaria com Jesus no Paraíso, que parte daquele homem seria deixada para reencarnar em outro corpo terreno?

Artigos Relacionados

Em que hora Jesus foi crucificado? Em que hora Jesus foi crucificado?
Uma alegação feita pelos críticos da Bíblia é a diferença que existe entre Marcos e João ao...
Os Evangelhos e o “Anonimato Protetor” Os Evangelhos e o “Anonimato Protetor”
Há muitos detalhes interessantes que chamam a atenção quando uma leitura comparativa entre os quatro...
Jesus: O Centro das Promessas do Antigo Testamento Jesus: O Centro das Promessas do Antigo Testamento
Jesus Cristo é o cumprimento das promessas e profecias do Antigo Testamento...
A Morte do Messias no Livro de Daniel A Morte do Messias no Livro de Daniel
Depois das sessenta e duas semanas [de anos], será morto o Messias e já não estará [...] Ele fará...

Mateus 17:1-13 coloca ainda outra situação que fala contra a ideia de que a reencarnação ocorre. Nesta passagem, Pedro, Tiago e João acompanharam Jesus a uma alta montanha onde Jesus foi “transfigurado diante deles. Seu rosto brilhava como o sol e Suas roupas ficaram brancas como a luz. E eis que Moisés e Elias lhes apareceram, falando com ele” (17:2-3). A presença de Moisés e Elias, neste caso, levanta uma questão muito importante: se os homens reencarnam, o que Moisés e Elias estavam fazendo conversando com Jesus? Sabemos que os corpos físicos de Moisés e Elias não estavam presentes (veja Judas 9). Portanto, seus espíritos estavam presentes, o que significa que esses espíritos não estavam habitando outros corpos terrestres. É interessante notar que aqueles que acreditam que a Bíblia permite a reencarnação às vezes usam Mateus 11:8-14 para afirmar que João Batista era Elias reencarnado; todavia, Mateus 17:3 prova que o espírito de Elias não estava no corpo de João. Pelo contrário, quando Jesus mencionou que João havia vindo “no espírito de Elias” (Lucas 1:17), Ele simplesmente quis dizer que João tinha atributos semelhantes a Elias.

Ao olhar para a Bíblia, obtém-se a imagem clara de que os seres humanos morrem apenas uma vez e que seus espíritos desencarnados vão para um “reino dos mortos” para esperar pelo julgamento final. A ideia de reencarnação não deriva nem pode ser sustentada pela Bíblia. Pelo contrário, a Bíblia nega implicitamente até mesmo a possibilidade de reencarnação. Por ser “designado que os homens morram uma vez”, devemos ser muito mais diligentes para nos certificarmos de que a única vida que vivemos nesta Terra esteja de acordo com a vontade do Pai Divino da raça humana (Atos dos Apóstolos 17:29).

REFERÊNCIAS

American Heritage Dictionary of the English Language (2000), (Boston, MA: Houghton Mifflin), quarta edição.


Traduzido por Fabricio Luís Lovato a partir de Reincarnation and the Bible.

Nota do Tradutor

O período entre a morte de uma pessoa e a segunda vinda de Jesus para ressuscitar os mortos e realizar o juízo final é conhecido na Teologia como estado intermediário. Alguns cristãos acreditam que durante o estado intermediário não existe consciência ou qualquer tipo de atividade para aqueles que partiram. Essa posição é conhecida como mortalista ou do sono da alma. A maioria dos cristãos acredita que durante o estado intermediário a alma dos que partiram permanece consciente ou na presença de Deus ou em um local de tormento, conforme esboçado no artigo acima. Essa é a posição conhecida como imortalista. A Igreja Batista do Sétimo Dia não apresenta nenhum desses dois posicionamentos como oficial ou obrigatório, por entender que esta é uma questão secundária, entre outras as quais “encorajamos o estudo desimpedido e a discussão aberta das Sagradas Escrituras e defendemos a liberdade de consciência do indivíduo” (Declaração de Fé Batista do Sétimo Dia).

Artigos Relacionados

Jesus é uma cópia de divindades pagãs? Respondendo “Zeitgeist” Jesus é uma cópia de divindades pagãs? Respondendo “Zeitgeist”
Em 2007, o documentário “Zeitgeist: O Filme” popularizou a ideia, desenvolvida por estudiosos...
A Origem do Papado A Origem do Papado
O Catecismo da Igreja Católica declara: “O Pontífice Romano, em razão de seu cargo de Vigário de...
Mateus 24:20 e a Observância do Sábado Mateus 24:20 e a Observância do Sábado
Em Mateus 24, Jesus está respondendo perguntas dos apóstolos, a respeito de Sua segunda vinda e da...
Jesus, o Desejado de Todas as Nações Jesus, o Desejado de Todas as Nações
 ...e farei tremer todas as nações, e virá o Desejado de todas as nações, e encherei esta casa de...

Envie suas perguntas