Tácito da Gama Leite Filho comenta que o próprio Kardec afirmou que os espíritos costumam dar nomes e identidades falsas, mesmo sendo espíritos superiores. Segundo Kardec, para se comunicar com os médiuns é preciso que haja fluídica entre eles. Deste modo, mesmo sendo os médiuns confiáveis, nem sempre se pode confiar nos espíritos. Kardec diz que eles podem ser fraudulentos, mentirosos, contraditórios ou ridículos. Por isso, há uma necessidade de codificação, isto é, da seleção do que é bom, certo, verdadeiro, dentre as muitas comunicações dos espíritos. Por fim a credibilidade acaba nas mãos da codificação e do codificador.

Neste caso, responda honestamente: Isso pode dar alguma certeza da confiabilidade dos escritos espíritas?

A Bíblia responde (Salmos 119:89 Salmos 119:152; Isaías 40:8; Mateus 5:18; Mateus 24:35; 1 Pedro 1:25)

Como Kardec pode ter certeza de que ele não foi enganado quando escreveu O Evangelho Segundo o Espiritismo e os demais livros? Como eu posso confiar num ensino que ele próprio não garantiu a veracidade da origem? Tal atitude não seria um risco perigoso, já que ele envolve o destino eterno? Ao contrário de Kardec, Jesus garantiu a procedência e a indestrutibilidade da Bíblia.

Disse Jesus:

"Estas Palavras que vocês estão ouvindo não são minhas; são de meu Pai que me enviou."

João 14:24

"Os céus e a terra passaram, mas as minhas palavras jamis passarão."

Mateus 24:35

Artigos Relacionados

Sobre fatos que provam o perigo dos escritos espíritas
Há vários fatos conclusivos que mostram o engano do espiritismo: Os escritos espíritas possuem fraudes, como foi comprovado aqui com o caso de...

Graça Maior - Édino Melo, . Disponível em: https://gracamaior.com.br/estudos/espiritismo/127-respostas-biblicas/escritos-espiritas-e-a-biblia/991-a-credibilidade-dos-escritos-espiritas.html. Acesso em 23 Julho 2017.