100 Respostas Bíblicas para o Espiritismo

Renold J. Blank argumenta que a teoria da reencarnação desvaloriza o homem como um ser corporal.

“Em toda a tradição bíblica, o fim da obra criadora de Deus é sempre a corporeidade. Deus nunca age com vibrações, fluxos energéticos ou corpos astrais. Ele age sempre com homens concretos dentro de uma história visível e concreta. Em toda a história da revelação bíblica, Deus nunca age com almas espirituais, mas sempre com pessoas corporais, visíveis e palpáveis. E no seu agir, Ele não falava de níveis energéticos e vibrações espirituais, mas de coisas seculares como: Fome, cegueira, hanseníase, banquetes, ovelhas perdidas e prostitutas. Jesus agiu dentro de uma história concreta que envolve corpos concretos. O espiritismo conserva o conceito negativo do corpo com argumentos baseados em suposições. Jamais se provou cientificamente a teoria das descargas energéticas, dos fluxos magnéticos, de núcleos vibratórios de chacras e pólos magnéticos.”

Renold J. Blank

A Bíblia responde que há ressurreição. Leia Jó 14:14 Eclesiastes 3:21 Isaías 25:8 Daniel 12:2 Marcos 12:26 Lucas 14:14 Lucas 20:37 João 5:21 João 5:29 João 6:45 João 6:54 João 11:23 Atos dos Apóstolos 23:6 Atos dos Apóstolos 24:21 Atos dos Apóstolos 26:8 Romanos 4:17 1 Coríntios 6:14 1 Coríntios 15:42 1 Coríntios 15:52 2 Coríntios 1:9 Filipenses 3:11Hebreus 6:2 Hebreus 11:35 Apocalipse 20:13

A crença na reencarnação é inconsistente e autodestrutiva. Ela é, no mínimo, inconcebível. Pense: Na morte, o corpo que é a parte material do ser humano, é destruído, enquanto a parte espiritual se reencarna em outro corpo na próxima vida. Sendo assim, em que parte se conserva a cultura aprendida na vida passada? No espírito, dizem. Ele é imortal. Então, por que a pessoa não nasce falando e interagindo com o mundo a partir do que ela aprendeu na vida anterior? Não é o mesmo espírito que reencarna, ou ele nasce com amnésia?

A Bíblia responde que o ser humano é um ser único que passa a existir ainda no ventre. Davi diz:

Tu criaste o íntimo do meu ser e me teceste no ventre de minha mãe. Eu te louvo porque me fizeste de modo especial e admirável. Os teus olhos viram o meu embrião; todos os dias determinados para mim foram escritos no teu livro antes de qualquer deles existir.

Salmos 139:13-16

A doutrina da reencarnação faz do sério escândalo da morte humana acontecimento inócuo. A morte não é a partida para algo incerto. Para que se construiu, então, essa personalidade, se ela agora desaparece? A Bíblia responde em João 14:1-6:

NÃO se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também. Mesmo vós sabeis para onde vou, e conheceis o caminho. Disse-lhe Tomé: Senhor, nós não sabemos para onde vais; e como podemos saber o caminho? Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.

João 14:1-6

Como se explica o crescimento explosivo da população mundial? No mundo atual, não parece convincente o resultado da progressiva evolução dos seres humanos em processo de purificação do carma. Segundo o espiritismo, a evolução do indivíduo é uma evolução ramo a um humanismo melhor, a uma caridade maior. Então, a evolução do sistema social entrelaçado também deveria apresentar essa mesma direção. Entretanto, quando olhamos para o mundo, onde é que podemos constatar uma evolução assim?

Veia o que a Bíblia responde em 2 Pedro 3:5-13, 1 João 5:19; 2 Timóteo 3:1-4

Conforme o Instituto Cristão de Pesquisa (ICP), Léon Denis, o segundo na hierarquia espírita depois de Allan Kardec, declarou blasfemamente:

não, a missão de Cristo não era resgatar com o seu sangue os crimes da humanidade. O sangue, mesmo de um Deus, não seria capaz de resgatar ninguém. Cada qual deve resgatar-se a si mesmo.

Léon Denis (“Cristianismo e Espiritismo”, p. 86)

A Bíblia responde que Paulo afirma em 1 Coríntios 15:3-4 que a missão de Jesus Cristo a este mundo foi a de salvar e por isso morreu por nós pecadores, tomando assim desnecessária a reencarnação.

Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras.

1 Coríntios 15:3-4

Deus, a suprema perfeição, não poderia criar nunca espíritos imperfeitos e submetê-los ao sofrimento. Onde ficaria o livre arbítrio? Como alguém pode reencarnar diversas vezes e aprender tudo de novo? Por que os espíritos não comunicam novos conhecimentos? Veja o que a Bíblia responde em Tiago 1:17:

Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação.

Tiago 1:17

A crença na reencarnação produz uma atitude cômoda diante das maldades: posso fazer porque vou pagar na próxima encarnação!

A Bíblia responde que esta vida precede o julgamento:

E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo,

Hebreus 9:27

Se o sofrimento nesta vida sempre resulta do mal feito numa vida anterior, teria de haver uma regressão infinita de vidas anteriores. Mas uma regressão infinita do tempo não é possível, já que se houvesse o número infinito antes de hoje, o hoje jamais chegaria. Mas o hoje chegou, logo não houve um número infinito de vidas anteriores como a reencarnação tradicional parece pressupor.

A Bíblia responde que o pecado está ligado ao mal:

Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram.

Romanos 5:12

Os espíritas afirmam que uma vida não é suficiente para que a pessoa tenha tempo hábil para alcançar a salvação. Por isso, é necessário que ela passe por várias reencarnações. Na verdade, afirma Ronald Scott Bruno, “a teoria reencarnacionista sustenta o aperfeiçoamento dos homens através de sua auto-expiação de culpas presentes e passadas. Assim, através de sucessivas reencarnações, a pessoa, ou melhor, o espírito dessa pessoa acabaria atingindo um estado de perfeição, libertando-se das culpas e imperfeições que pesam sobre a sua vida”. Uma pessoa que vive cerca de 60 anos, porém, terá desfrutado de, aproximadamente: 720 meses; 21.900 dias; 525.600 horas; 31.536.000 segundos!

Se isto não for tempo suficiente para se arrepender dos pecados e buscar reconciliação com Deus, nem mesmo um milhão de vidas será o suficiente!

A Bíblia responde:

Porque diz: Ouvi-te em tempo aceitável E socorri-te no dia da salvação; Eis aqui agora o tempo aceitável, eis aqui agora o dia da salvação.

2 Coríntios 6:2

Subcategorias

O espiritismo está ligado à origem da humanidade. O movimento moderno, porém, propagou-se a partir de 30 de abril de 1856, na França, com Hippolyte Léon Denizard Rivail (1804-1869). Ele ficou  popularmente conhecido pelo pseudônimo de Allan Kardec, pois acreditava ser a encarnação  de um poeta celta com esse nome. Hippolyte Léon Denizard Rivail escreveu posteriormente O Evangelho segundo o Espiritismo, O Livro dos Médiuns, O Céu e o Inferno e Gênesis.

As americanas Magie e Katie Fox deram início definitivo ao espiritismo moderno em Hydesville (no estado de Nova Iorque) e 1848. Morreram alcoolizadas (Deuteronômio 18:20-22)

Hebreus 9:27 diz: "...aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo". Há vários erros, escandalosos, na teoria da reencamação. 

Allan Kardec diz que “As instruções dadas pelos espíritos são verdadeiramente as vozes do céu que vêm esclarecer os homens e convidá-los à prática do Evangelho"(Evangelho Segundo o Espiritismo, Introdução, item I). Para fundamentar esta crença, os espíritas usam diversos textos bíblicos. Analise-os a seguir.

Allan Kardec disse que não há concordância sobre reencarnação nem entre os espíritos. Diversos espíritas da Inglaterra e dos EUA receberam mensagens de espíritos contrários à reencarnação. Há o caso de Stainton Moses que se negava a crer na reencarnação por ter recebido, a 16 de novembro de 1874, uma mensagem de seu “espírito-guia” chamado Kabbila, na qual este afirmava ser falsa essa doutrina, pois há mais de quatro mil anos esse “espírito” havia deixado a Terra, e jamais reencarnara, nem existia possibilidade alguma disso acontecer. (Veja: COSTA, Jefferson Magno. Porque Deus Condena o Espiritismo, CPDA: 1987, p. 145/147).

O Dr. Marcos Martins diz no livro O que diz a Bíblia sobre reencarnação (São Paulo, SP., Ed. Press Abbab, 2004) que Allan Kardec reconheceu a possibilidade de espíritos embusteiros se esconderem atrás de nomes emprestados, a fim de fazerem aceitar suas utopias. Afirmou ainda que “a única garantia segura do ensino dos Espíritos está na concordância das revelações feitas espontaneamente, através de um grande número de médiuns, estranhos uns aos outros, e em diversos lugares”. Mas quem garante que essa concordância é a garantia da verdade? Os espíritos? Todavia, quem são esses espíritos? São realmente anjos de luz?

A Bíblia responde que são espíritos enganadores (1 Timóteo 4:1-2; Jó 7:8-10).

O espiritismo ensina que o céu e o inferno

são apenas alegorias (inferno e paraíso). Há, por toda parte, Espíritos felizes e infelizes. Contudo como já o dissemos, os espíritos da mesma ordem se reúnem por simpatia. Mas, quando perfeitos, podem reunir-se onde queiram. Levamos em nós mesmos o nosso inferno e o nosso paraíso. O céu é o espaço universal; são os planetas, as estrelas, e todos os mundos superiores, onde os Espíritos gozam de todas as suas faculdades..." .

Livro dos Espíritos, q 1012,1016,1017

Equivocadamente, Allan Kardec afirma que “o mundo espírita preexiste e sobrevive a tudo. Os Espíritos estão por toda parte; povoam o espaço infinito” (Livro dos Espíritos, q. 85 e 87).

Apesar de a Bíblia condenar duramente a mediunidade e toda e qualquer iniciativa de contactar os espíritos, como já foi demostrado aqui, Allan Kardec afirmou que Deus só se comunica com os homens por intermédio dos espíritos (O Evangelho Segundo Espiritismo, introdução, item VI). Mas, Allan Kardec cai no próprio engodo e acaba traindo o espiritismo ao delatar a verdadeira natureza do seu ensino, quando sugere: ponde, em lugar da palavra demônio, a palavra espírito e tereis a doutrina espírita (Evangelho Segundo Espiritismo, introdução, item VI). Aí está, o próprio decodificador do espiritismo revelando a sua identidade.

Segundo Allan Kardec há espíritos mentirosos, travessos, vingativos, hipócritas; costumam dar nomes e identidade falsos, mesmo sendo espíritos superiores. Sendo assim, como confiar neles? (João 8:44)

De acordo com Natanael Rinaldi o primeiro movimento organizado do espiritismo, no Rio, começou em 2 de agosto de 1873, com a fundação da Sociedade de Estudos Espiríticos Grupo Confucio, sob direção dos dr. Francisco de Siqueira Dias Sobrinho. O Grupo Confucio tinha como divisa sem caridade não há salvação', sem caridade não há verdadeiro espírita (Espiritismo Básico. Pedro Franco Barbosa. FEB. 2o Edição, p. 70).