Espiritismo

O American Heritage Dictionary afirma que a reencarnação é o “renascimento da alma em outro corpo”. Por muitos anos, a crença na reencarnação foi geralmente associada a religiões orientais como o budismo e o hinduísmo. No entanto, está se tornando cada vez mais popular proclamar uma crença na Bíblia como a Palavra inspirada de Deus, mas ainda assim manter a crença na reencarnação. Uma questão óbvia surge de tal situação: “o que a Bíblia diz sobre a reencarnação?”

A reencarnação é a antiga crença oriental segundo a qual uma porção de nosso ser (a consciência, alma ou espírito) prossegue em existência após a morte, vindo a passar por inúmeros renascimentos em diferentes corpos, com a finalidade de anulação do carma (a colheita das consequências de ações praticadas anteriormente), o auto-aperfeiçoamento ou a própria auto-aniquilação. Apesar das diversas divergências desse ensinamento com os ensinos do Cristianismo, conforme expressos nas Escrituras do Antigo e do Novo Testamento, muitos argumentam que a reencarnação era doutrina oficial da Igreja até o século VI, quando teria sido proibida e suprimida da Bíblia no Segundo Concílio de Constantinopla, em 553 d.C.

A palavra cânon deriva da palavra semita que significa junco, que representa régua. Daí deriva o sentido de norma e, por fim, lista ou rol. Aplicado a Bíblia, cânon refere-se à lista dos únicos escritos inspirados como a Palavra de Deus para nós. Por esse motivo, os livros extra-canônicos não são reconhecidos como a única regra de fé e prática. Esses livros, segundo Broadus D. Hale eram aqueles lidos publicamente pela Igreja como o fundamento apostólico (Colossenses 4:16; 1 Tessalonicenses 5:27; 1 Timóteo 4:13; 2Pd 3:15 e Apocalipse 1:3; Apocalipse 2:7-17; Apocalipse 22:18).

N. Notovitch diz que Jesus viveu na índia dos 12 aos 30 anos. As evidências, porém, comprovam que Jesus foi criado como um judeu comum, indo à sinagoga e não a templos hindus (Lucas 4:16-22; Lucas 5:52). Em Israel, conforme Roland De Vaux, “trabalhava-se em regime de oficina familiar e o pai transmitia o ofício ao filho”, e isto, segundo J. Jeremias, exprimia-se pelo seu agrupamento local. Portanto, conclui Ajith Fernando, Jesus era conhecido como tekton, trabalhador em madeiras de Nazaré, da juventude até trinta anos (Mateus 13:55).

Muitos espíritas afirmam que Jesus tenha vivido entre os essênios, na comunidade de Qunrã. Natanael Rinaldi apresenta diversos fatos que provam que Jesus não foi um essênio:

  1. Primeiro fato: Os essênios abraçaram um legalismo radical como modo de vida. Josefo declara que eles guardavam o sábado, até o ponto de não acender fogo nesse dia. Jesus se mostrou tolerante quanto à guarda do Sábado (Mateus 12:1-10). Ler Sábado: Santo Dia de Deus, Perguntas Frequentes Sobre o Sábado Sagrado, Sábado! Criação de Deus Para o Nosso Benefício;
  2. Segundo fato: Os essênios tinha uma vida ascética. Jesus vivia com o povo e não tinha problemas com comida (Mateus 11:19). Ler também: Alimentos Segundo a Bíblia, Alimentos Impuros
  3. Terceiro fato: Os essênios primavam pela limpeza exterior, Jesus se preocupava com a pureza interior (Marcos 7:5 Marcos 7:14-15)
  4. Quarto fato: Os essênios não criam na ressurreição. Jesus não só ensinou a ressurreição como Ele mesmo ressuscitou (João 2:19-20).
  5. Quinto fato: Os essênios olhavam para os doentes como impuros e guardavam distância deles, mas Jesus curou a todos os que vieram a ele (Mateus 21:14; Lucas 14:13-21).
  6. Sexto fato: Os essênios discriminavam à mulher, Jesus não (Lucas 13:20-21; João 4:1-30).

A Bíblia responde:

Não acrescentareis à palavra que vos mando, nem diminuireis dela, para que guardeis os mandamentos do SENHOR vosso Deus, que eu vos mando.   Deuteronômio 4:2
Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro (a Bíblia) que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro; E, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte do livro da vida, e da cidade santa, e das coisas que estão escritas neste livro.   Apocalipse 22:18-19

O apóstolo Paulo é chamado por Allan Kardec de "um dos mais fortes sustentáculos do Evangelho". Inclusive 1 Coríntios 13:13 é plenamente aceito pelo codificador da doutrina espírita. Paulo é bem claro quando se trata de escritos heréticos.

A Bíblia responde:

Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema (amaldiçoado). Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema (amaldiçoado).   Gálatas 1:8-9

Norman Geisler mostra que existem muitos testes para provar um falso profeta. Vários deles estão listados na passagem Bíblica em questão. Colocando-os em forma de perguntas, os testes são:

  1. Eles entregam falsas profecias? (Deuteronômio 18:21-22)
  2. Contatam espíritos de mortos? (Deuteronômio 18:11)
  3. Utilizam meios de adivinhação? (Deuteronômio 18:11)
  4. Envolvem médiuns e feiticeiras? (Deuteronômio 18:11)
  5. Seguem a falsos deuses ou ídolos? (Êx 20:3, 4; Deuteronômio 13:1-3)
  6. Negam a divindade de Jesus Cristo? (Colossenses 2:8-9)
  7. Negam a humanidade de Jesus Cristo? (lJo 4:1-2)
  8. As suas profecias desviam a atenção da pessoa de Jesus Cristo? (Apocalipse 19:10)
  9. Promovem a imoralidade? (Judas 1:4-7)
  10. Encorajam a renúncia pessoal legalista? (Colossenses 2:16-23)

A Bíblia responde, conclusivamente, que Allan Kardec se trata de um falso profeta, sem qualquer sombra de dúvidas.

Há vários fatos conclusivos que mostram o engano do espiritismo:

  1. Os escritos espíritas possuem fraudes, como foi comprovado aqui com o caso de Flammarion e com a falsa descrição que Kardec faz da Lua no livro de Gênesis. (ver resposta 9);
  2. Os escritos espíritas são contraditórios. O Evangelho Segundo o Espiritismo  possui diversas declarações contraditórias, como foram expostas aqui.
  3. Os escritos espíritas possuem fontes suspeitas. O próprio Allan Kardec denunciou a natureza enganadora dos espíritos. (ver resposta 1);
  4. Os escritos espíritas cometem um erro básico. Eles são apresentados como a  continuação da revelação da Bíblia.  Como eles pretendem ser a continuação da Bíblia se a julgam falha? Ora, neste  caso, eles caem no cúmulo da contradição. 

A Bíblia responde sobre aqueles que rejeitam a Palavra de Deus: Leia Êxodo 9:21 Levíticos 26:15 Números 15:31 Deuteronômio 28:15 1 Samuel 15:26 2 Samuel 12:9 2 Reis 17:15 1 Crônicas 10:13 2 Crônicas 25:16 2 Crônicas 30:10 SI 107:11, Salmos 119:155 Provérbios 1:25 Provérbios 13:13 Jeremias 5:13 Jeremias 7:27 Jeremias 11:10 Jeremias 13:10 Jeremias 18:18 Jeremias 19:15  Jeremias 35:14 Jeremias 42:21 Jeremias 44:16 Amós 7:10 Mi 2:2, Mateus 10:14 Marcos 7:8 Lucas 8:5 Lucas 16:31 Lucas 8:37-47, Atos dos Apóstolos 13:46 Romanos 1:25 1 Coríntios 1:18 1 Tessalonicenses 5:20 2 Tessalonicenses 2:10 2 Timóteo 4:3