Algumas denominações religiosas proíbem seus membros de utilizarem adornos como brincos, colares ou pulseiras. Acreditam que os princípios de modéstia e bom senso ensinados pela Bíblia, se não expressamente, pelo menos de forma indireta desaconselham o seu uso. Mas o que as Escrituras realmente têm a dizer sobre esse tópico?

Esse artigo tem o objetivo de demonstrar que o uso de joias, por si, não é condenado na Bíblia, nem no Antigo nem no Novo Testamento. Iremos destacar alguns dos textos que tratam de forma positiva a respeito do assunto, e por fim, analisar algumas das principais passagens tidas como negativas.

Evidência positiva quanto ao uso de joias nas Escrituras

A evidência positiva para o uso de joias na Bíblia se encaixa em duas categorias principais: (1) textos que demonstram servos de Deus as utilizando; e (2) em comparações ou metáforas positivas (como com a sabedoria ou o dom da salvação).

1. Então lhe perguntei, e disse: De quem és filha? E ela disse: Filha de Betuel, filho de Naor, que lhe deu Milca. Então eu pus o pendente no seu rosto, e as pulseiras sobre as suas mãos;

Gênesis 24:47

2. E tirou o servo jóias de prata e jóias de ouro, e vestidos, e deu-os a Rebeca; também deu coisas preciosas a seu irmão e à sua mãe.

Gênesis 24:53

Rebeca, esposa do patriarca Isaque e serva de Deus, utilizou joias recebidas como presente do servo de Isaque.

3. E farás vestes sagradas a Arão teu irmão, para glória e ornamento.

Êxodo 28:2

Os sumos-sacerdotes judeus, descendentes de Arão, seguindo as ordens de Deus, utilizavam roupas confeccionadas de finos tecidos e incrustadas de pedras preciosas, que apontavam a dignidade de seu ofício.

4. Assim vieram homens e mulheres, todos dispostos de coração; trouxeram fivelas, e pendentes, e anéis, e braceletes, todos os objetos de ouro; e todo o homem fazia oferta de ouro ao SENHOR;

Êxodo 35:22

O próprio Deus aceitou joias e adornos valiosos como ofertas do povo para a construção do tabernáculo e dos utensílios sagrados.

5. Filho meu, ouve a instrução de teu pai, e não deixes o ensinamento de tua mãe, Porque serão como diadema gracioso em tua cabeça, e colares ao teu pescoço.

Provérbios 1:8-9

6. [A sabedoria] mais preciosa é do que os rubis, e tudo o que mais possas desejar não se pode comparar a ela."

Provérbios 3:15

7. Há ouro e abundância de rubis, mas os lábios do conhecimento são joia preciosa."

Provérbios 20:15

8. Como pendentes de ouro e gargantilhas de ouro fino, assim é o sábio repreensor para o ouvido atento.

Provérbios 25:12

Joias e pedras preciosas são utilizadas para se destacar o valor ainda mais elevado do ensino dos pais, do conhecimento e da sabedoria.

9. Mulher virtuosa quem a achará? O seu valor muito excede ao de rubis.

Provérbios 31:10

Pedras preciosas são utilizadas para se destacar o valor ainda mais elevado da mulher virtuosa.

10. Formosas são as tuas faces entre os teus enfeites, o teu pescoço com os colares. Enfeites de ouro te faremos, com incrustações de prata."

Cantares de Salomão 1:10-11

11. Enlevaste-me o coração, minha irmã, minha esposa; enlevaste-me o coração com um dos teus olhares, com um colar do teu pescoço.

Cantares de Salomão 4:9

O livro de Cânticos registra declarações de amor entre o rei Salomão e sua esposa Sulamita, sendo também uma alegoria espiritual do amor entre Cristo e Sua igreja. As joias, roupas e perfumes são citados positivamente ao longo do livro.

12. Regozijar-me-ei muito no SENHOR, a minha alma se alegrará no meu Deus; porque me vestiu de roupas de salvação, cobriu-me com o manto de justiça, como um noivo se adorna com turbante sacerdotal, e como a noiva que se enfeita com as suas jóias."

Isaías 61:10

 A alegria de receber o presente divino da salvação é comparada à alegria de uma noiva que se enfeita com suas joias.

13. E, passando eu [Deus] junto de ti [Israel], vi-te, e eis que o teu tempo era tempo de amores; e estendi sobre ti a aba do meu manto, e cobri a tua nudez; e dei-te juramento, e entrei em aliança contigo, diz o Senhor DEUS, e tu ficaste sendo minha. Então te lavei com água, e te enxuguei do teu sangue, e te ungi com óleo. E te vesti com roupas bordadas, e te calcei com pele de texugo, e te cingi com linho fino, e te cobri de seda. E te enfeitei com adornos, e te pus braceletes nas mãos e um colar ao redor do teu pescoço. E te pus um pendente na testa, e brincos nas orelhas, e uma coroa de glória na cabeça. E assim foste ornada de ouro e prata, e o teu vestido foi de linho fino, e de seda e de bordados; nutriste-te de flor de farinha, e mel e azeite; e foste formosa em extremo, e foste próspera, até chegares a realeza. E correu de ti a tua fama entre os gentios, por causa da tua formosura, pois era perfeita, por causa da minha glória que eu pusera em ti, diz o Senhor DEUS.

Ezequiel 16:8-14

Nessa passagem de Ezequiel, o próprio Deus utiliza-se positivamente do uso de joias (veja as referências à braceletes, colar, brincos, etc.) como uma metáfora de toda a obra de redenção e santificação que Ele havia realizado a favor de Seu povo, a nação de Israel.

14. Mas o pai disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa; e vesti-lho, e ponde-lhe um anel na mão, e alparcas nos pés;

Lucas 15:22

Em uma das mais belas parábolas de Jesus, o filho pródigo que retorna ao seu lar é recebido com alegria por seu pai (o qual representa a Deus), que lhe coloca finas roupas e um anel no dedo, símbolos de boas-vindas ao lar.

15. E eu, João, vi a santa cidade, a nova Jerusalém, que de Deus descia do céu, adereçada como uma esposa ataviada para o seu marido.

Apocalipse 21:2

O apóstolo João compara a glória da nova Jerusalém, a cidade celestial que Deus está nos preparando, a uma esposa adornada para o seu esposo.

Esse conjunto de passagens é mais do que suficiente para estabelecer a visão de que a Bíblia não proíbe o uso de joias.

Evidência negativa quanto ao uso de joias nas Escrituras

Contudo, aqueles que acreditam que a Bíblia se opõe ao uso de joias e adornos, apegam-se principalmente a quatro passagens bíblicas. Passemos a examiná-las agora.

1. Então disse Jacó à sua família, e a todos os que com ele estavam: Tirai os deuses estranhos, que há no meio de vós, e purificai-vos, e mudai as vossas vestes. E levantemo-nos, e subamos a Betel; e ali farei um altar ao Deus que me respondeu no dia da minha angústia, e que foi comigo no caminho que tenho andado. Então deram a Jacó todos os deuses estranhos, que tinham em suas mãos, e as arrecadas que estavam em suas orelhas; e Jacó os escondeu debaixo do carvalho que está junto a Siquém.

Gênesis 35:2-4

 Argumenta-se a partir desse texto que quando o patriarca Jacó decidiu realizar uma purificação espiritual em sua família, suas imagens de deuses bem como suas joias foram lançadas fora. Isso por que o uso de joias não convém a pessoas que buscam uma presença mais íntima do Senhor em suas vidas.

Joia pagãMas veja, porém, que o pedido que Jacó faz à sua família é que se livrem de seus deuses, não de seus deuses e suas joias. Então por que se livrar dos adornos? Porque nos tempos antigos, as joias e adornos, especialmente na Mesopotâmia e Egito, costumavam portar imagens de deuses ou eram utilizadas em rituais de adoração pagã como amuletos ou talismãs. Veja abaixo um exemplo de anel egípcio com a imagem do deus Ptah (datado entre 664 e 322 a.C.). O problema nesse relato da era patriarcal não eram as joias em si, e sim, a sua associação com cultos pagãos.

Mesmo um livro que defende a ideia de que a Bíblia desaconselha o uso de joias e adornos diz a respeito desse texto: 

“Quando Jacó estava retornando para Betel, o Senhor ordenou que ele e os que o acompanhavam se desfizessem de seus deuses e se consagrassem a Ele (Gênesis 35:4). Como resposta, entregaram a Jacó todos os deuses estrangeiros que tinham em mãos, e as argolas que lhes pendiam das orelhas. Esses eram obviamente eram obviamente ornamentos que traziam algum tipo de significado religioso, possivelmente com impressões de ícones sobre eles. A implicação é que esse tipo de joia era incompatível com o culto a Jeová.” [1]

A segunda passagem vem do livro do profeta Isaías. 

2. Naquele dia tirará o Senhor os ornamentos dos pés, e as toucas, e adornos em forma de lua, Os pendentes, e os braceletes, as estolas, Os gorros, e os ornamentos das pernas, e os cintos e as caixinhas de perfumes, e os brincos, Os anéis, e as jóias do nariz, Os vestidos de festa, e os mantos, e os xales, e as bolsas. Os espelhos, e o linho finíssimo, e os turbantes, e os véus.

Isaías 3:18-23

Argumenta-se a partir desse texto que o próprio Deus irá tirar as joias das mulheres de Seu povo (mas contraste isso com Ezequiel 16 onde o próprio Deus adorna a Israel!). Mas utilizar esse texto para dizer que Deus reprova o uso de joias é o mesmo que dizer que Ele também reprova o uso de cintos, perfumes, espelhos e roupas de linho!

Isaías 3 está falando sobre um castigo que Deus enviaria sobre a nação judia, por causa de sua apostasia espiritual. Esse castigo envolveria guerra e suas consequentes circunstâncias de privação e necessidade. Os versos seguintes continuam:

E será que em lugar de perfume haverá mau cheiro; e por cinto uma corda; e em lugar de encrespadura de cabelos, calvície; e em lugar de veste luxuosa, pano de saco; e queimadura em lugar de formosura. Teus homens cairão à espada e teus poderosos na peleja. E as suas portas gemerão e prantearão; e ela, desolada, se assentará no chão.

Isaías 3:24-26

Então por que Deus iria ‘retirar as joias’ das mulheres de Seu povo? Por que devido às condições de pobreza e guerra, não haveria qualquer espaço para vaidade ou outros cuidados supérfluos. Mais uma vez, o problema não está nas joias em si. Veja que não seriam só as joias que Deus tiraria de Seu povo naquele momento:

PORQUE, eis que o Senhor, o SENHOR dos Exércitos, tirará de Jerusalém e de Judá o sustento e o apoio; a todo o sustento de pão e a todo o sustento de água;

Isaías 3:1

Isso não quer dizer que Deus é contra o pão e a água, não é?

Os próximos dois textos vêm do Novo Testamento. O primeira está em uma das cartas do apóstolo Paulo a Timóteo. 

3. Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas, ou vestidos preciosos, Mas (como convém a mulheres que fazem profissão de servir a Deus) com boas obras.

1 Timóteo 2:9-10

Vejamos o que alguns comentaristas dizem a respeito desse texto. 

 “À vista do contexto (ver v. 10), Paulo quer dizer isto: a mulher cristã deve compreender que seu verdadeiro adorno não consiste em penteados ou joias ou aparato de vestuário, mas algo mais, o que o apóstolo está para mencionar, a saber: a prática de boas obras que são os frutos de um caráter transformado pelo Espírito Santo. ...

Semelhantemente, a mulher crente não deve procurar chamar a atenção para a fútil exibição de enfeites dourados. Além do mais, não deve ambicionar pérolas, obtidas (naquele tempo) no Golfo Pérsico ou no Oceano Índico. As vezes seus preços eram fabulosos e ficavam fora do alcance do poder aquisitivo da maioria dos membros da igreja. Para se obter uma pérola de grande valor, um mercador tinha de vender todas as suas possessões (Mateus 13:46).” [2]

“Os judeus usavam colares, braceletes, tornozeleiras e anéis (de orelha, de nariz e de dedo) em ocasiões especiais. As joias eram feitas de ouro, prata e metais preciosos, e ornamentadas com pedras preciosas e semipreciosas. O marfim era entalhado e transformado em pentes e broches. Usar joias nunca foi algo condenado na Bíblia e, de fato, algumas vezes esse costume é descrito como correto e adequado. Porém condenava-se o uso ostentoso de joias (Isaías 3:16-23; 2 Timóteo 2:9-10).” [3]

“Paulo condena a extravagância dos ornamentos. De fato, a passagem não se refere a um estilo específico, ornamento ou vestimenta. Ele demanda moderação nas roupas e no proceder de uma maneira geral, com ‘boas obras’ (v.10). Quando o homem ou mulher vivem primordialmente para mostrarem roupas, alguma coisa está errada.” [4]

Os diversos comentaristas bíblicos concordam na interpretação de que o texto não é uma proibição, e sim, uma admoestação que enfatiza que a beleza interior deve ter a primazia, pois não é transitória e tem grande valor diante de Deus.

Vamos à última passagem:

4. O enfeite delas não seja o exterior, no frisado dos cabelos, no uso de jóias de ouro, na compostura dos vestidos; Mas o homem encoberto no coração; no incorruptível traje de um espírito manso e quieto, que é precioso diante de Deus.

1 Pedro 3:3-4

O significado desse texto é similar ao de 2 Timóteo. Vejamos o que dizem alguns comentaristas.

 “Não há condenação total de adornos aqui; a ênfase é que a ornamentação externa não deve prevalecer à interna. Alguns vão a extremos como querer condenar anéis, pulseiras e ornamentos. Pedro, porém, não quis dizer aqui serem pecado, apenas não podem ser a maior razão de viver das mulheres.” [5]

“O adorno (...) exterior - a ênfase não está tanto na condenação dos adornos exteriores, como frisado de cabelos, aparato do vestuário etc., mas na aparência exterior, apreciada pelos homens em contraste com a santidade apreciada por Deus. (1 Samuel 16:7)” [6]

“[A mulher cristã] não deve chamar a atenção pela artificialidade do penteado, das joias, ou roupas aparatosas, mas deve se distinguir pelo espírito manso e tranquilo, tão raro no mundo e tão estimado por Deus. As esposas dos patriarcas são apontadas como exemplo de comportamento (v. 5). Ao que parece os enfeites espalhafatosos e chamativos são considerados contrários ao espírito de modéstia diante dos maridos.” [7]

Alguns ainda tentam argumentar que o uso de joias é indevido, uma vez que o nosso corpo é o templo do Espírito Santo (1 Coríntios 3:16-17). Obviamente, nosso corpo e nossa vida devem ser inteiramente consagrados a Deus, em obediência a tudo o que Deus nos ordena. Não somos livres para pecar contra nosso corpo. Mas em nenhum lugar da Lei Moral de Deus revelada na Bíblia o uso de joias é tratado como uma transgressão dessa Lei.

Conclusão

 Não permitamos que proibições ou julgamentos não-bíblicos interfiram na busca de pessoas em relação a Deus. Gostaria de encerrar com sérias palavras do pastor Ricardo Gondim, em seu livro É Proibido: O que a Bíblia Permite e a Igreja Proíbe (Mundo Cristão):

“Sei de muitas jovens que hoje vivem longe de suas igrejas e totalmente indiferentes à mensagem do evangelho porque sofreram exclusões e disciplinas públicas quando foram vistas usando calças compridas, um colar ou até mesmo brincos. ... Em determinadas igrejas, raramente o sermão expõe a Bíblia, pois quase sempre começa com um versículo e acaba tratando do que pode e do que não pode. Alguns ficariam estarrecidos com o número de pessoas que sai pela porta dos fundos de suas igrejas, rejeitando e odiando o cristianismo, devido a esse rigor legalista sobre usos e costumes. (...)

Moda, adornos, usos e costumes não constituem valores espirituais em si mesmos; não fazem parte da lei moral de Deus; devem ser concebidos como valores culturais. Não é negativa a abordagem bíblica sobre a moda e sobre a utilização de adornos no corpo; a Bíblia está repleta de passagens em que homens santos e o próprio Deus participam em atividades de adorno. (...) Os trechos bíblicos usados para combater a moda e o uso de adornos são comumente lidos de uma maneira errônea. Muitos são tirados de seus respectivos contextos e adaptados para sustentar a doutrina de uma determinada igreja e de seus líderes.”

Referências

[1] Angel Manuel Rodríguez, O Uso de Joias na Bíblia, p. 42.
[2] William Hendriksen, Comentário do Novo Testamento - Epístolas de Timóteo e Tito, p. 137-138.
[3] Sociedade Bíblica do Brasil, Enciclopédia Bíblica Ilustrada, p. 101.
[4] Nota da Bíblia de Estudo Dake, sobre 2 Timóteo 2:9-10.
[5] Nota da Bíblia de Estudo Dake, sobre 1 Pedro 3:3-4.
[6] Nota da Bíblia Vida Nova, de Russel Shedd, sobre 1 Pedro 3:3-4.
[7] Comentário Bíblico Moody, sobre 1 Pedro 3:3-4.

Graça Maior - Fabricio Luís Lovato, . Disponível em: https://gracamaior.com.br/estudos/diversos/1245-joias-e-adornos-na-biblia.html. Acesso em 18 Outubro 2017.