Doutrinas

Nesta sessão você poderá conhecer pontos doutrinários da Igreja Batista do Sétimo Dia, que lhe fará refletir melhor sobre diversos assuntos bíblicos

A palavra “dom” provém do latim de “domum” e “donare” (doar), e quer dizer “dádiva ou presente”. Dom é tudo o que Deus nos dá: salvação, vida, saúde, etc. O batismo com o Espírito Santo também é um dom de Deus. Primeiro Deus nos batiza com o Espírito Santo, e Este nos presenteia com os dons espirituais. Os dons espirituais são habilidades devidamente comunicadas para o serviço de Deus, tanto na Igreja como fora dela. Em Romanos 12:6-9, estão discriminados os seguintes dons para o serviço ministerial: profecia, pastoral, ensino, exortação, filantropia e administração. Também consta, em 1 Coríntios 12:8-10, outra sequência de dons espirituais: sabedoria, fé, conhecimento, cura, milagres, profecia, discernimento de espírito, línguas e interpretações de línguas. Todos estes dons espirituais são presentes ou dádivas que a pessoa recebe para o ministério do Evangelho, após estar selada ou batizada com o Espírito Santo, Efésios 1:13 ; 1 Coríntios 12:11; 28-31 .

O dom espiritual de curas é uma habilidade divina conferida ao homem, que permite a este fazer curas milagrosas, perfeitas, gradativas ou repentinas, Atos dos Apóstolos 3:6-10. O dom natural de curas, através da medicina, é uma habilidade adquirida por meios de estudos científico-biológicos, II Crônicas 16:12; Colossenses 4:14

O dom de profecia foi dado à igreja para que, através dele, ficássemos orientados sobre os acontecimentos passados presentes e futuros, Amós 3:7; Daniel 12:4; Apocalipse 1:3 18,19. Em primeiro lugar devemos considerar que a profecia bíblica já predisse tudo o que já aconteceu, o que esta acontecendo e o que deve acontecer. 2 Pedro 1:19-21 ; Gálatas 1:8-9.

O dom da graça de Deus é a manifestação do seu livre amor e representa um imerecido favor concedido aos homens. A graça de Deus sempre foi o único meio de salvação oferecido aos homens em ambos os concertos. Creio que Deus brindou-nos com seu filho unigênito envolvendo o mundo todo numa atmosfera de graça, tão real como o ar que respiramos.

Os santos ofícios são sinais e selos do pacto da graça salvadora, instituídos por Deus para representar Cristo e os Seus benefícios, e confirmar o nosso interesse nEle, bem como fazer uma diferença visível entre os que pertencem à Igreja e o resto do mundo, e induzi-los ao serviço de Deus em Cristo, segundo a sua palavra, 1 Coríntios 11:26; João 13:14-17; 1 Coríntios 10:16-17.

"No princípio criou Deus os Céus e a terra” e o homem para habitá-la.

Saído das mãos de Deus, o homem era inocente, justo, santo; não tinha nenhum pecado e nem desejo de pecar. Mas era livre para escolher servir a Deus ou não. A prova era o fruto de uma árvore. Se comesse seria condenado, se passasse pela prova teria a vida eterna. O homem não venceu a prova e por sua desobediência somos mortais e estamos sob condenação. Se Adão nunca pecasse, também nunca morreria, pois a advertência de Deus era que no dia em que pecasse morreria (Gênesis 2:17 ).

O arrependimento dos pecados também é um dom de Deus. O pecador movido pelo sentimento não só da condenação, mas também da impureza e da odiosidade do pecado que contraria a natureza e justa lei de Deus, de tal maneira sente e aborrece os seus pecados que, deixando-os, se volta para Ele, procurando obedece-lo em todos os seus mandamentos. Ainda que não devamos confiar no arrependimento como sendo, de algum modo uma satisfação pelo pecado, ou em qualquer sentido a causa do perdão, que é um ato de livre graça de Deus em Cristo. Ele é de tal modo necessário aos pecadores que sem ele ninguém poderá ser perdoado. 1 João 1:9; 1 João 5:1-3; Provérbios 28:13; Atos dos Apóstolos 2:38; Salmos 51:1-13; Atos dos Apóstolos 17:30; Lucas 13:3-5; Tito 3:5; 2 Coríntios 7:10.