PERGUNTA

“Em sua segunda carta a Timóteo 3:8, Paulo se referiu a dois homens que ‘resistiram’ a Moisés. Ele cita seus nomes como Janes e Jambres. Supostamente, esses eram os ‘mágicos’ mencionados várias vezes no livro de Êxodo (capítulos 7-9). Já que seus nomes não são mencionados no Antigo Testamento, como Paulo poderia ter essa informação?”

RESPOSTA

Em primeiro lugar, o fato de os nomes dos magos que se opunham a Moisés não estarem registrados no Antigo Testamento não significa que eles fossem desconhecidos. Há muitos casos no registro antigo de antagonistas cujos nomes não foram mencionados explicitamente. Certamente não existe uma razão literária que exija tal.

O fato é que, no entanto, existem referências a esses nomes na literatura da antiguidade. Albert Pietersma observou que os dois nomes “aparecem freqüentemente em fontes judaicas, cristãs e pagãs existentes em árabe, aramaico, grego, hebraico, latim, inglês antigo e médio e siríaco” (The Anchor Bible Dictionary, ed. David Noel Freedman, New York: Doubleday, 1992, Vol. 3, p. 638).

Como Paulo tinha uma ampla educação tanto na tradição hebraica (Gálatas 1:14), como na literatura secular (cf. Atos dos Apóstolos 17:28; Tito 1:12), ele poderia muito bem ter fornecido os nomes de seu próprio reservatório de conhecimento (Atos dos Apóstolos 26:24) - sob a supervisão do Espírito Santo, é claro. Não é incoerente com um elevado conceito de inspiração que um escritor sagrado possa incorporar informações de várias fontes em sua narração. Esse é exatamente o ponto que Lucas fez nas observações iniciais de seu relato do Evangelho a respeito de Jesus.

Tendo, pois, muitos empreendido pôr em ordem a narração dos fatos que entre nós se cumpriram, segundo nos transmitiram os mesmos que os presenciaram desde o princípio, e foram ministros da palavra, pareceu-me também a mim conveniente descrevê-los a ti, ó excelente Teófilo, por sua ordem, havendo-me já informado minuciosamente de tudo desde o princípio

Lucas 1:1-3

 

O particípio traduzido, ‘havendo-me informado’, carrega a ideia de ‘perseguir ou investigar um assunto’ (Gerhard Kittel, Dicionário Teológico do Novo Testamento, Grand Rapids: Eerdmans, 1964, vol. I, p. 215).

Artigos Relacionados

Todos os Dias São Iguais? Analisando Romanos 14:5-6 Todos os Dias São Iguais? Analisando Romanos 14:5-6
Há quem considere um dia mais sagrado que outro; há quem considere iguais todos os dias. Cada um...
Atos 20:7 Comprova que o Domingo é o Dia do Senhor? Atos 20:7 Comprova que o Domingo é o Dia do Senhor?
Atos dos Apóstolos 20:7 afirma: E no primeiro dia da semana, ajuntando-se os discípulos para...
“Cajado ou Não Cajado?”A Pior “Contradição” da Bíblia? “Cajado ou Não Cajado?”A Pior “Contradição” da Bíblia?
Aqueles que resistem a acreditar na autoridade da Bíblia muitas vezes apontam passagens que eles...
Poder sobre as doenças e morte
  E de todos se apoderou o temor, e glorificavam a Deus, dizendo: Um grande profeta se...

O professor Norald Geldenhuys, que lecionou em Princeton e Cambridge, descreveu a pesquisa de Lucas da seguinte maneira:

“Através de longos períodos (durante suas viagens junto com Paulo e também outras vezes) ele fez pesquisas completas sobre as histórias do Evangelho para que ele pudesse estabelecer o curso real dos eventos. Ele coletou e estudou todas as representações escritas disponíveis de palavras e obras de Jesus; onde quer que a oportunidade lhe fosse apresentada, ele discutia as histórias do Evangelho com pessoas que possuíam conhecimento de primeira mão a respeito Dele…” Comentário sobre o Evangelho de Lucas, Grand Rapids: Eerdmans, 1956, p. 53.

Se, então, o Espírito de Deus pôde guiar Lucas na seleção, organização e registro de materiais apropriados ao seu relato evangélico, ele poderia ter levado Paulo a incorporar os nomes de Janes e Jambres em sua carta a Timóteo, de qualquer fonte que eles foram derivados - seja oral ou escrita.

O Dr. Henry Thiessen certa vez observou, em relação a esse ponto específico, que “o Espírito Santo supervisionava a seleção dos materiais a serem usados ​​e as palavras a serem empregadas por escrito. [Ele] finalmente preservou os autores de todo erro e de toda omissão” (HC Thiessen, Palestras Introdutórias em Teologia Sistemática, Grand Rapids: Eerdmans, 1949, p. 107).

O fato é que os nomes de Janes e Jambres poderiam ter sido revelados diretamente ao apóstolo, se Deus assim o tivesse escolhido, embora essa não seja a teoria mais provável do que aconteceu.

Simplesmente é suficiente dizer que não constitui problema que os nomes não sejam encontrados no Antigo Testamento, mas estão presentes na carta de Paulo a Timóteo.


Jackson, Wayne. "How Did Paul Learn about Jannes and Jambres?" ChristianCourier.com. Data de acesso: 5 de dezembro de 2020. https://www.christiancourier.com/articles/1006-how-did-paul-learn-about-jannes-and-jambres

Artigos Relacionados

O evangelho segundo Lucas
Pareceu-me também a mim conveniente descrevê-los a ti, ó excelente Teó...
Paulo Traiu Jesus? Paulo Traiu Jesus?
Em sua edição de dezembro de 2003, a Revista Superinteressante traz como matéria de capa o assunto “...
Liberdade de consciência e o exemplo de Cristo
Portanto cada um de nós agrade ao seu próximo no que é bom para edificaç...
Deveres civis, morais e espirituais
TODA a alma esteja sujeita às potestades superiores; porque não há potestade...

Envie suas perguntas