E, respondendo João, disse: Mestre, vimos um que em teu nome expulsava os demônios, e lho proibimos, porque não te segue conosco. E Jesus lhes disse: Não o proibais, porque quem não é contra nós é por nós.    

Como esta passagem de hoje traz uma exortação para nós! Não sei qual sentimento passou pela mente dos discípulos, mas soa como um exclusivismo da parte deles, de um “ciúme” talvez daqueles que estavam fazendo a obra, e ainda a crítica porque não estava caminhando com eles. Será que isso ainda acontece em nossos dias? Jesus nos ensina nestes dois versículos a não julgar aqueles que não caminham conosco, ou seja, aqueles que também não congregam na mesma igreja que a gente. Se eles estão fazendo a obra como nós estamos fazendo, amém! Importa que a palavra de Deus seja pregada, o papel de julgar não cabe a nós, mas a Deus, é Ele, como vimos nas meditações anteriores, que conhece realmente a intenção do coração das pessoas. Vamos orar mais e julgar menos! Quando a obra não vem de Deus, ela não subsiste.

Graça Maior - Ellen Kelvin Correia, . Disponível em: https://gracamaior.com.br/devocional/1260-as-limitacoes-dos-discipulos-quarta-feira.html. Acesso em 27 Junho 2019.
Envie suas perguntas