Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia, Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus.

Gálatas 5:19-21
Uma boa forma de decidir sobre nossas ações é perguntando: Se todas as pessoas fizessem como eu, teríamos uma sociedade agradável? Nos versos lidos temos a descrição de ações inconvenientes e que manifestam o extremo dos desejos carnais. Todavia, o universo é finamente equilibrado. O mais importante físico da atualidade, Stephen Hawking, afirmou que se as leis que regem o universo alterassem minimamente seria impossível a existência de vida. Nós também possuímos leis biológicas, sociais e espirituais responsáveis pelo equilíbrio pessoal e coletivo. Ao permitir a manifestação extrema dos desejos da carne contrariamos a lógica da paz e harmonia. É preciso que pensemos no impacto individual e coletivo das obras da carne. Que possamos estar sintonizando nossas ações com as indicações paulinas.
Graça Maior - Juliano Mainardes Waiga, . Disponível em: http://gracamaior.com.br/devocional/1188-a-lei-a-carne-e-o-espirito-segunda-feira.html. Acesso em 29 Maio 2017.